PUBLICIDADE

'Será tudo ou nada': Bolsonaristas convocam último ato

Evento é marcado após revés de megaoperação da PF e foi batizado de “novo 7 de Setembro”.

Há 45 dias os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) promovem atos antidemocráticos pelo país.
Há 45 dias os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) promovem atos antidemocráticos pelo país. -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Depois de 45 dias de promovendo atos antidemocráticos e com teor golpista pelo país, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) convocam agora para suposto “ato final” do movimento.

Em vídeos divulgados nas redes sociais, lideranças chamam bolsonaristas para atividades a serem realizadas no próximo domingo (18) e segunda-feira (19).

Inconformados com a vitória de Lula (PT) nas urnas, eles pedem um golpe das Forças Armadas para impedir que o petista assuma a presidência da República. Nos últimos episódios, bolsonaristas voltaram a fazer bloqueios em rodovias federais e protagonizaram cenas de vandalismo em Brasília (DF)

“Faça este vídeo rodar geral, nós estamos muito próximo da vitória, quanto maior o apoio popular menor será as consequências da decisão que está para ser tomada pelo presidente Bolsonaro! No dia 18 e 19 de dezembro vamos fazer o último sacrifício. Será tudo ou nada!”, diz a legenda de uma publicação feita em uma das páginas de apoio ao movimento.

A convocação é para que os manifestantes se reúnam em frente aos quartéis do Exército para um evento que eles planejam ser “o novo 7 de Setembro”.

“Vamos dar forças às Forças Armadas. Vamos lotar Brasília. Vamos repetir o 7 de Setembro. Vamos nos encontrar na porta do QG [Quartel-General] de Brasília”, disse o padre Genésio Lamounier Ramos, em um dos vídeos usados pelos bolsonaristas.

Operação da PF contra bolsonaristas radicais

Nesta quinta-feira (12), o movimento foi alvo de uma operação da Polícia Federal que, por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), cumpre mais de 100 mandados de busca e apreensão, além de quatro de prisão, em diversos estados do país.

Nas buscas, até a tarde desta quinta, já havia sido apreendido um arsenal de armas. Em um só endereço de Santa Catadina, a PF encontrou 11 armas, incluindo uma submetralhadora, um fuzil, um rifle com luneta e munições. Não havia ninguém na casa.

Em outro, os agentes encontraram quatro armas regulares e uma sem registro. Nesse caso, uma pessoa foi presa em flagrante.

No Espírito Santo foram expedidos quatro mandados de prisão envolvendo dois parlamentares que não foram detidos, mas passaram a usar tornozeleira eletrônica.

Com informações, Yahoo

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE