Férias compõem aula de Língua Portuguesa em Guamiranga

Alunos do 5º ano A da Escola de Boa Vista puderam relatar experiências sobre o recesso de julho e trabalhar questões textuais dentro da temática

Pátio da escola foi um dos locais que contribuiu para trabalho mais dinâmico
Pátio da escola foi um dos locais que contribuiu para trabalho mais dinâmico -

Dhiego Tchmolo

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O mês de julho marca as férias na rede municipal e, no 5º ano A da Escola Municipal de Boa Vista em Guamiranga, sob coordenação da professora Rosimery de Morais Bueno Ribeiro, a volta deste período rendeu debates e produções. A docente explica todas as etapas do trabalho realizado com os educandos.

“Retornamos das férias de julho, todos muitos animados e com muita vontade a aprender e de ensinar. Iniciamos os trabalhos com a disciplina de Língua Portuguesa, que aconteceu em quatro momentos, sendo: roda de conversa, registro da roda de conversa, leitura e correção textual”, aponta a educadora.

Rosimery cita que, depois das boas-vindas, trocas de afeto e carinho em sala, houve a orientação de como seria o trabalho na disciplina, conduzidos ao pátio na sequência. No primeiro momento houve contação dos fatos, acontecimentos, enquanto no gramado do local todos puderam falar mais sobre como foram suas férias.

GALERIA DE FOTOS

  • Férias compõem aula de Língua Portuguesa em Guamiranga
  • Férias compõem aula de Língua Portuguesa em Guamiranga
  • Férias compõem aula de Língua Portuguesa em Guamiranga
  • Férias compõem aula de Língua Portuguesa em Guamiranga
  • Férias compõem aula de Língua Portuguesa em Guamiranga
  • Férias compõem aula de Língua Portuguesa em Guamiranga
 

“Foi bem divertido. Os alunos relataram tudo o que fizeram nas férias e respeitaram o colega quando era momento de ouvir. Ainda neste momento, os alunos usaram na sua oralidade a coerência e a coesão correta, e quando percebiam que não estava correto, eles mesmo corrigiam a fala”, comenta a professora.

O segundo momento foi de registro em sala de aula da conversa anterior, feito em uma folha a ser corrigida. Já na etapa seguinte, os textos foram embaralhados e cada educando pôde escolher uma produção para ler aos demais colegas, entregando ao seu autor, que fazia o mesmo processo, sucessivamente. Neste ínterim, a docente registrou no quadro as palavras escritas e lidas de forma incorreta na turma.

Para fechar, a educadora cita que o último momento foi de correção ortográfica, com o uso das palavras anotadas na lousa. “Esse momento foi muito produtivo: trabalhamos som das letras, coesão, coerência e ortografia, e então os alunos apresentaram indignação por ter escrito de forma incorreta a palavra, pois já sabiam a forma correta de escrever. Foi um dia diferente na escola, uma experiência produtiva, divertida, um momento de reencontro com a comunidade escolar, com a professora, com colegas de turma; e os alunos demonstraram muita alegria, vontade, interesse e prazer por estarem na escola”, conclui Rosimery.

Acesse o blog escolar da Escola de Boa Vista clicando aqui