PUBLICIDADE

Elisangela desmente ‘fake news’ e anuncia aumento de recursos à Esco-Lar

Diretora da entidade também refutou a informação falsa de que haveria cortes dos repasses financeiros pela Prefeitura

Edenize Plovas, fiscal de contrato com as entidades; Johanna Macedo, secretária de Assistência Social; Tainati Pontes e Luciane Bartmayer, representantes da Padre Theodorus; prefeita Elisangela Pedroso; representantes da Esco-Lar, Alex Los, Ari Guilherme Los e Alexandre Rickli.
Edenize Plovas, fiscal de contrato com as entidades; Johanna Macedo, secretária de Assistência Social; Tainati Pontes e Luciane Bartmayer, representantes da Padre Theodorus; prefeita Elisangela Pedroso; representantes da Esco-Lar, Alex Los, Ari Guilherme Los e Alexandre Rickli. -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A prefeita de Carambeí, Elisangela Pedroso, durante reunião com as entidades assistenciais do Município, nesta sexta-feira, dia 7, lamentou a circulação de uma notícia falsa que afirmava que a Prefeitura de Carambeí cortaria os repasses financeiros mensais para a Esco-Lar. A diretoria da Associação de Assistência Social Evangélica de Carambeí (AASEC), que é responsável pela Esco-Lar, também refutou a informação falsa de que haveria cortes dos repasses financeiros pela Prefeitura.

Por meio de um ofício, a AASEC solicitou à Prefeitura Municipal um reequilíbrio financeiro, ou seja, que os valores repassados mensalmente a entidade fossem reajustados, já que a Esco-Lar passa por momentos delicados financeiramente. “Essa notícia é um ato irresponsável, uma maldade que colocou em pânico os pais e responsáveis das crianças que frequentam a entidade”, destacou a prefeita.

Elisangela se reuniu ontem, dia 6, com Wilmar da Costa Martins Junior, da Coordenadoria de Acompanhamento de Atos de Gestão do Tribunal de Contas (TCE-PR) em Curitiba que sinalizou a possibilidade de a Prefeitura reajustar os valores repassados mensalmente não apenas a Esco-Lar, mas também a Casa Pe. Theodorus Koops. “Nós somos gratos por todo esse trabalho social desenvolvido pelas entidades, porém, nada se faz sem o trâmite correto e sem a orientação dos órgãos de fiscalização do dinheiro público, como o tribunal de contas”, disse a prefeita.

A servidora Edenize Plovas, que é fiscal de contratos entre o Município e as entidades, explica que como os convênios são renovados anualmente, as entidades terão que apresentar um novo plano de trabalho e comprovar o aumento das despesas. “Toda essa documentação entregue será aprovada pelo Conselho Municipal de Assistência Social o mais rápido possível, para que a Prefeitura reajuste os valores ainda neste ano”, falou.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE