PUBLICIDADE

Vamos traz jogo e competição com porcentagens em Ipiranga

‘Magia da Porcentagem’ buscou ensinar de maneira lúdica, divertida e competitiva, conteúdo matemático no 5º ano da Escola Rural São Braz

Dinâmica em sala de aula contribuiu para respostas mais rápido e espírito de competição
Dinâmica em sala de aula contribuiu para respostas mais rápido e espírito de competição -

Dhiego Tchmolo

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

‘Magia da Porcentagem’ buscou ensinar de maneira lúdica, divertida e competitiva, conteúdo matemático no 5º ano da Escola Rural São Braz

Com foco na disciplina de Matemática, no estudo da porcentagem, o 5º ano A da Escola Rural Municipal São Braz, em Ipiranga, da professora Andreia Schechenski Antunes, pôde desenvolver uma série de dinâmicas para trabalhar o assunto. Dessa forma, surgiu um método diferente de competição para aplicação do tema, conforme relata a docente.

“Assim que iniciei o conteúdo ‘porcentagem’ com o 5º ano, percebi que os alunos tinham um certo receio quanto a matéria. Ensinando do jeito tradicional as famosas continhas de porcentagem, os alunos se sentiam inseguros quanto ao resultado e, quando se iniciavam as atividades da mesma, todos ficavam com medo achando o conteúdo muito complicado”, aponta a educadora.

Dessa forma, antes de aplicar a avalição sobre a temática, para revisar, Andreia aplicou o jogo ‘Magia da Porcentagem’. “O jogo era composto pelo dado dos valores de 100 a 600, e a caixinha da porcentagem com valores variados do 5% até 100%. Ensinei eles a forma de multiplicar a porcentagem pelo número de centenas. Exemplo: se o valor retirado era de 500 e a porcentagem 30%, então soma-se 30 + 30 + 30 + 30 + 30 = 150, que é 30% de 500. Desta forma, todos conseguiam calcular a porcentagem mentalmente”, explica a professora.

Dessa forma, houve a divisão da turma em dois grupos: um sorteava o valor, outro a porcentagem, marcando ponto quem achasse o resultado. Para complementar, a docente cita que o espírito de competição trouxe máximo esforço para resolução dos problemas, além de ajudar os colegas do próprio grupo. Com o passar do jogo, os alunos ficaram mais ágeis nas respostas, com aprendizado lúdico “que antes, quando pronunciado, provocava receio em todos”, conforme pontua a educadora.

“O jogo, por sua vez, traz raciocínio lógico às crianças. Faz com que elas recebam a matéria de forma prazerosa, desenvolvendo sentidos, habilidades e a percepção. O jogo durou duas aulas e, quando chegou o tempo de finalizar, todos queriam continuar jogando, porque acharam divertido e mais fácil de compreender a porcentagem. E, claro que depois vieram ótimos resultados na avaliação de todos”, conclui Andreia.

Acesse o blog escolar da Escola Rural São Braz clicando aqui

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE