PUBLICIDADE

PG não terá ‘passe livre’ no transporte público durante as eleições

Informação foi confirmada pela Prefeitura Municipal nesta quinta-feira (29); outras cidades do País realizarão o ‘passe livre’ para estimular a votação

Portal aRede também entrou em contato com a Viação Campos Gerais (VCG), responsável pelo serviço público
Portal aRede também entrou em contato com a Viação Campos Gerais (VCG), responsável pelo serviço público -

Rodolpho Bowens

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Durante as ‘Eleições Gerais 2022’ deste domingo (2), os usuários do transporte público coletivo de Ponta Grossa não terão direito ao ‘passe livre’ no serviço. A informação foi confirmada pela Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG), após questionamentos do Portal aRede. Neste ano, os eleitores escolherão os(as) próximos(as): presidente; governadores; senadores; deputados federais, estaduais e distritais (no caso do Distrito Federal). O pleito acontecerá das 8h às 17h (no horário de Brasília).

Segundo o Poder Executivo Municipal, “não haverá gratuidade ou cobrança diferenciada no transporte coletivo durante o dia de votação, uma vez que não há previsão da prática na legislação municipal vigente”, explica. Além disso, o Portal aRede entrou em contato com a Viação Campos Gerais (VCG), responsável pelo serviço público. A empresa também confirmou que o serviço de gratuidade não estará valendo no dia das ‘Eleições Gerais 2022’.

Outras cidades

Em Curitiba, capital paranaense, o ‘passe livre’ será realizado. Assim, estimulando os eleitores para votação, uma das mais importantes dos últimos anos. Já em Porto Alegre, depois de 27 anos, o Município não organizará a gratuidade no transporte coletivo, diferente do Rio de Janeiro, que também autorizou o dia do ‘passe livre’.

Diante dessa situação, o partido Rede Sustentabilidade ajuizou, no Supremo Tribunal Federal (STF), ação para que a Corte determine que os municípios garantam, no dia das eleições, serviço de transporte público urbano coletivo de passageiros gratuito. A ação foi distribuída ao ministro Luís Roberto Barroso. Além do primeiro turno (2 de outubro), o partido pede que a medida seja aplicada em um eventual segundo turno (30 de outubro).

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE