Agricultura divulga estimativa das culturas de segunda safra

A falta de chuvas e as altas temperaturas das últimas semanas repercutiram na análise da primeira safra e geraram uma reavaliação do potencial produtivo no Paraná


O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura, divulgou a primeira estimativa das culturas de segunda safra 2018/19. Os principais destaques são as culturas do milho, do feijão e da batata, que tiveram aumento na estimativa de produção, na comparação com a safra 17/18.

A falta de chuvas e as altas temperaturas das últimas semanas repercutiram na análise da primeira safra, também divulgada pelo Deral, e geraram uma reavaliação do potencial produtivo no Estado.

A primeira estimativa de área para o milho na segunda safra aponta para um crescimento de 4% na área plantada. A expectativa inicial é de uma área de aproximadamente 2,2 milhões de hectares na safra 18/19. Na safra anterior, foram cultivados 2,1 milhões de hectares.

A produção esperada é de 12,6 milhões de toneladas. Este volume representa um aumento de 38% se comparado à safra 17/18, que foi duramente castigada pelo clima. “O cenário ainda apresenta incerteza, podendo haver aumento ou redução nesta projeção, pois fatores climáticos e comerciais ainda podem interferir na decisão de plantio”, diz o técnico do Deral, Edmar Gervásio.

A produção média por hectare inicialmente prevista é de 5.787 kg/ha, mas o intervalo de produção esperado para o Paraná fica entre 5.390 kg/ha a 6.190 kg/ha.

A produção de milho de segunda safra concentra-se nas regiões Norte e Oeste, que representam aproximadamente 71% do total.

Com relação aos preços, a saca de 60 kg, que no fim do ano passado era comercializada a R$ 23,00, neste ano chegou a R$ 28,00, crescimento de 22% no período, ocasionado principalmente pela quebra de safra tanto no Paraná como em outras regiões produtoras brasileiras. Outro fator que contribuiu decisivamente para o aumento nas cotações foi a situação favorável do câmbio.


Feijão e batata

As primeiras estimativas de intenção de plantio indicam que haverá redução de 16% na área plantada no ciclo 2018/19. No ano anterior foram colhidos 214 mil hectares. A estimativa para este ciclo é de que sejam semeados cerca de 180 mil hectares. A redução mais significativa foi registrada na região de Pato Branco. “De maneira geral, isso se explica pelo fato de muitos agricultores terem feito a opção pelo plantio do milho, que traz maior retorno financeiro, pelos bons preços”, explica o engenheiro agrônomo Carlos Alberto Salvador.

A produção na safra 17/18 foi de 281,5 mil toneladas, e na safra 18/19 cresceu 22%, chegando a 344,6 mil toneladas. O valor do feijão cores aumentou 32%. No ano passado, era comercializado a R$ 82,00, e em dezembro de 2018 a saca de 60 kg é comercializada a R$ 108,00.

A cultura recuperou a produtividade. A área de plantio teve uma redução de 13%, de 12.132 hectares na safra 17/18 para 10.610 hectares na safra 18/19. O rendimento desta cultura na safra 17/18 era de 25.710 kg/ha, enquanto que na safra 18/19 passou para 30.122 kg/ha, um aumento de 17%. A produção estimada, que era de 312 mil toneladas na safra 17/18, subiu 2% nesta safra, chegando a 319,5 mil toneladas.


Soja primeira safra

Os técnicos de campo do Deral estão reavaliando o potencial produtivo da soja de primeira safra, devido ao forte calor e ao clima seco das últimas semanas. Estima-se, com isso, uma redução no potencial produtivo.

A expectativa inicial de produção da primeira safra, que era de 19,7 milhões de toneladas, agora está em 19,1 milhões de toneladas. Segundo o chefe do Deral, Marcelo Garrido, o clima quente e seco fez com que principalmente as regiões Oeste, Noroeste, Centro-Oeste e Sudoeste do Estado concentrassem essa redução. “Nessas regiões, o plantio começou mais cedo, e o calor e a estiagem estão prejudicando o desenvolvimento do grão”, afirma.

De maneira geral, a redução estimada na avaliação do Deral é de 3%. As análises continuam nas próximas semanas, quando o quadro será mais especificado. A condição das lavouras está 3% ruim, 17% média e 80% boa.


Milho

Gervásio, constatou-se uma piora nas condições da lavoura. “Entretanto, a perda contabilizada até o momento é de somente 16 mil toneladas ou 0,5% comparativamente ao esperado”, diz. A perda concentra-se na região sul, que tem mais de 67% da produção do Estado.

O cenário deste mês indica que haverá uma potencial perda com a evolução da safra, principalmente em razão do clima, mas ainda sem extensões ou números confirmados. A produção esperada segue próxima a 3,3 milhões de toneladas, um aumento de 11% comparativamente à safra anterior. Cerca de 85% das lavouras estão em boas condições, 14% em condições médias e 1% em condições ruins.


Mandioca

A mandioca da primeira safra foi colhida em sua totalidade. Os preços caíram em 2018. Neste mês, a tonelada está sendo comercializada entre R$ 330,00 e R$ 350,00, de acordo com o economista do Deral, Methodio Groxko.

No mesmo período de 2017, o preço pago ao produtor era de R$ 559,00. Houve redução de área de plantio em 2%, passando de 152.864 hectares na safra 17/18 para 150.475 na safra 18/19.

A estimativa de produção cresceu 6% se comparada à safra passada, e agora a expectativa é de 3,7 milhões de toneladas. Quando ao rendimento, a mandioca teve um aumento de 8%, de 22.771kg/ha na safra 17/18 para 24.535 na safra 18/19.


Feijão primeira safra

Com 13% da área estimada já colhida, as análises de campo apontam para uma redução de 9% no potencial produtivo das lavouras de feijão na primeira safra. A falta de chuvas e as altas temperaturas das últimas semanas também afetaram as lavouras. “As condições ainda estão sendo avaliadas, e o avanço da colheita vai possibilitar melhores análises. Com a falta de chuvas, os grãos estão mais miúdos, e algumas vagens estão com falhas”, explica o engenheiro agrônomo Carlos Alberto Salvador.

A área do feijão na primeira safra 2018/19 reduziu 15% em comparação com o ciclo anterior. A área colhida no ano passado foi de 193,6 mil hectares, enquanto que na atual safra a área estimada é de aproximadamente 165 mil hectares.

Quanto à estimativa de produção, a redução foi de 10% na comparação com a safra anterior. Atualmente, a expectativa é de 297,4 mil toneladas. O rendimento, que na safra 17/18 era de 1.763 kg/ha, na atual safra é de 1.807 kg/ha, um aumento de 2%.

No fim do ano passado, a saca de 60 kg de feijão cores era comercializada a R$ 102,00. Neste ano, o preço está em R$ 107,00. O feijão preto, que em dezembro de 2017 valia R$ 122,00 a saca de 60 kg, em dezembro de 2018 está sendo comercializado a R$ 116,00 a saca. Quanto à condição das lavouras, 52% tem condição boa, 17% média e 3% estão em condições ruins.

Confira o seu horóscopo para esta segunda-feira (20/05)

Confira o seu horóscopo para esta segunda-feira (20/05)...

Decoração ameniza doenças respiratórias em idosos

Decoração ameniza doenças respiratórias em idosos...

Confira o seu horóscopo para este domingo (19/05)

Confira o seu horóscopo para este domingo (19/05)...

Homens de PG fazem sucesso com bigodes estilosos 

Homens de PG fazem sucesso com bigodes estilosos ...

A maior manifestação da educação da história brasileira

A maior manifestação da educação da história brasileira...

Partidos precisarão de quase 10 mil votos para eleger vereador

Partidos precisarão de quase 10 mil votos para eleger vereador...

Lideranças sugerem revisão na lei de doação de terrenos

Lideranças sugerem revisão na lei de doação de terrenos...

Amparo às universidades

Amparo às universidades...

Construtora KZ lança novo projeto no Jardim Carvalho

Construtora KZ lança novo projeto no Jardim Carvalho...

Capa da edição deste fim de semana (18, 19 e 20/05/2019) do JM

Capa da edição deste fim de semana (18, 19 e 20/05/2019) do JM...

Charge da edição deste fim de semana (18, 19 e 20/05/2019) do JM

Charge da edição deste fim de semana (18, 19 e 20/05/2019) do JM...

Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Tibagi promove reunião

Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Tibagi promove reunião...

Rede estadual de ensino atende mais de 4 mil alunos estrangeiros

Rede estadual de ensino atende mais de 4 mil alunos estrangeiros...

Temperatura vai despencar em PG nos próximos dias

Temperatura vai despencar em PG nos próximos dias...
Comentários

Deixe uma resposta

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Últimas Notícias

Capa do Dia

CHARGE DO DIA

REDES SOCIAIS