PUBLICIDADE

Bolsonarista que matou petista chega ao presídio em Pinhais

Jorge Guaranho foi levado à presídio com capacidade para atendimento hospitalar. Defesa acredita que a prisão é "ilegal e desumana"

Jorge Guaranho  Ele chegou ao Complexo Médico Penal às 2h51 deste sábado
Jorge Guaranho Ele chegou ao Complexo Médico Penal às 2h51 deste sábado -

Banda B

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O policial penal  Jorge Guaranho, acusado de matar a tiros o tesoureiro do PT, Marcelo Arruda, em Foz do Iguaçu, está preso. Ele chegou ao Complexo Médico Penal de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), na madrugada deste sábado (13).

Segundo a Secretaria da Segurança Pública do Paraná (Sesp-PR), a saída da casa de Guaranho, em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná, foi por volta das 18h20 de sexta-feira (12). Ele chegou ao Complexo Médico Penal às 2h51 deste sábado.

A Sesp informou que, com isso, a operação de cumprimento de mandado de prisão e transferência de Jorge Guaranho foi concluída. O réu foi transportado em ambulância e escoltado por equipes policiais do Setor de Operações Especiais (SOE), do Departamento de Polícia Penal do Paraná.

Desenrolar da prisão

Jorge Guaranho, que foi baleado no momento em que atirou contra o tesoureiro do PT numa festa de aniversário no dia 9 de julho, em Foz do Iguaçu, passou um mês internado. 

Ele recebeu alta na quarta-feira (10), mas a Justiça do Paraná tinha autorizado que cumprisse a prisão preventiva em regime domiciliar. 

Dois dias depois, na sexta-feira, o juiz Gustavo Germano Francisco Arguello, da 3ª Vara Criminal de Foz do Iguaçu, revogou a prisão domiciliar e determinou que cumpra pena em regime fechado.


Prisão ilegal, diz defesa

A defesa do policial penal acredita que a prisão é “ilegal e desumana”. Para a defesa, Guaranho só deveria ser colocado na prisão se representasse risco à sociedade ou se pudesse fugir ou atrapalhar as investigações.


As informações são da Banda B

Conteúdo de marca

Quero divulgar right