Exames identificam casos da ômicron no Brasil, diz Anvisa

Após testagem positiva inicial, o material será enviado ao Instituto Adolfo Lutz (IAL) para fins de confirmação do sequenciamento genético

Após testagem positiva inicial, o material será enviado ao Instituto Adolfo Lutz (IAL) para fins de confirmação do sequenciamento genético
Após testagem positiva inicial, o material será enviado ao Instituto Adolfo Lutz (IAL) para fins de confirmação do sequenciamento genético -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Após testagem positiva inicial, o material será enviado ao Instituto Adolfo Lutz (IAL) para fins de confirmação do sequenciamento genético

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou nesta terça-feira (30) que serão enviadas para análise laboratorial confirmatória as amostras de dois brasileiros que, preliminarmente, apresentaram resultado laboratorial positivo para a variante Ômicron da Covid-19, após testagem realizada pelo laboratório Albert Einstein.

Segundo a Anvisa, a testagem foi feita em um passageiro vindo da África do Sul, que desembarcou em Guarulhos no dia 23, com resultado de exame RT-PCR negativo, com vistas a se preparar para a viagem de regresso à África do Sul, procurou o laboratório localizado no aeroporto de Guarulhos, no dia 25, para, já na companhia de sua esposa, realizar o teste de RT-PCR requerido para o retorno.

Naquele momento, ambos testaram positivo para a Covid-19 e o fato foi comunicado ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) de São Paulo.

Após o resultado positivo, o laboratório Albert Einstein realizou o sequenciamento genético das amostras e notificou a Anvisa sobre os resultados positivos dos testes e sobre o início dos procedimentos para sequenciamento genético nesta segunda-feira (29).

Nesta terça-feira (30), no entanto, o laboratório informou que, em análises prévias, foi identificada a variante Ômicron. De acordo com os protocolos nacionais, o material deve ser enviado ao Instituto Adolfo Lutz (IAL) para fins de confirmação do sequenciamento genético.

A Anvisa também já informou o Ministério da Saúde e as secretarias de Saúde estadual e municipal de São Paulo sobre sobre a identificação preliminar para adoção das medidas de saúde pública pertinentes.

Segundo a agência, a entrada do passageiro no Brasil ocorreu no dia 23, ou seja, antes da notificação mundial sobre a identificação da nova variante, que foi relatada pela primeira vez à Organização Mundial de Saúde (OMS) pela África do Sul no dia 24.

Na última sexta, diante dos casos da variante Ômicron, a Anvisa recomendou medidas restritivas para voos e viajantes procedentes da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

Com informações da CNN Brasil

Conteúdo de marca

Quero divulgar right