PUBLICIDADE

Na Inovação, Rangel projeta 2023 e apresenta motivações

O ex-prefeito de Ponta Grossa e novo secretário de Inovação, Marcelo Rangel (PSD), explicou ao Grupo aRede como pretende ajudar Ponta Grossa e região atuando no alto escalão do governo

O ex-prefeito de Ponta Grossa e novo Secretario Estadual de Inovação, Marcelo Rangel (PSDB).
O ex-prefeito de Ponta Grossa e novo Secretario Estadual de Inovação, Marcelo Rangel (PSDB). -

Marcus Benedetti

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O ex-prefeito de Ponta Grossa e deputado estadual, Marcelo Rangel (PSD), explicou, em entrevista ao Grupo aRede, os motivos para ter aceito o convite do governador Ratinho Junior (PSD) para integrar o alto escalão do governo. Anunciado como secretário de Inovação, Rangel revelou que pretende continuar atuando, na prática, como um deputado estadual ao receber as demandas da população e buscar soluções. No entanto, por estar próximo do governador neste ano, a liderança ponta-grossense acredita conseguir trabalhar com ainda mais efetividade em prol da região dos Campos Gerais e do Estado do Paraná. 

“Um deputado estadual tem que estar presente, precisa acompanhar as demandas da população e tem que ser os olhos e ouvidos do governador. Na inovação, você pode trabalhar em todas as áreas. Vamos imaginar a saúde, por exemplo. Se alguma cidade precisar de um apoio para conquistar uma área de UTI, o que tem a ver a UTI com inovação? Hoje, tudo gira em torno de inovação. Na saúde, os equipamentos, as estruturas, os atendimentos, enfim, tudo isso é inovação. O fato de eu estar ao lado do Governador como secretário me possibilita levar as demandas diretamente ao Chefe do Poder Executivo, que por sua vez tem o poder da caneta na mão para resolver as questões (...) Portanto, continuo sendo o deputado de Ponta Grossa, mas mantendo esse contato direto e sendo o representante do governador Ratinho Junior”, revelou o ex-prefeito. 

Entre 2021 e 2022, Rangel já havia atuado como Superintendente Geral da Inovação durante 9 meses. Entretanto, o ponta-grossense afirma que o novo cargo é diferente pela estrutura de equipe que ele terá à sua disposição agora. “Essa secretaria (de Inovação) não existia. Fui superintendente e claro que o cargo tinha um status semelhante ao de secretário, mas não tínhamos estrutura. Nós trabalhávamos com a estrutura da Casa Civil na época, então tudo que eu tinha que fazer, algum projeto, investimento ou medida, eu tinha que solicitar para a Casa Civil e não tinha uma equipe. Hoje, não. Agora, a superintendência dá prioridade para a Inovação no Estado e isso me cativou porque é uma área que posso exercer a função de deputado”, explicou. 

PEDIDO DE UNIÃO

Durante a entrevista,Rangel ainda mencionou a polarização evidente no país no momento pós-eleição presidencial. Ele pediu união e reconciliação neste ano. 

“Recebo muitas críticas por esse meu posicionamento, mas tenho essa visão diferente da política porque conheço os bastidores. Enquanto vejo pessoas brigando, famílias se separando, os políticos já estão dialogando e fazendo articulações. Então, essa divisão não faz sentido”, lamentou.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE