PUBLICIDADE

Josi lamenta entrave na votação do "PL dos Fogos"

A proposta seria votada nesta semana, mas a tentativa de modificação do projeto original adiou a votação para o próximo ano

A vereadora Josi do Coletivo, em discurso na Câmara Municipal.
A vereadora Josi do Coletivo, em discurso na Câmara Municipal. -

Marcus Benedetti

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A vereadora Josi Kieras, do Mandato Coletivo do Psol, utilizou a tribuna da Câmara Municipal, na últimas segunda-feira (12), para lamentar o adiamento da votação do Projeto de Lei 16/2021. A proposta em questão visa proibir o manuseio, a utilização, a queima e a soltura de fogos de alto estampidos e de artifícios em Ponta Grossa. Este foi o primeiro PL apresentado pelo Coletivo do Psol, protocolado ainda no início de 2021. 

Inicialmente, havia a expectativa de que a matéria fosse votada nesta semana - a última antes do recesso parlamentar. Entretanto, de acordo com Josi, incluiu-se uma emenda modificativa autorizando fogos com a altura máxima de 85 decibéis, que seriam tolerados pelos autistas. "Esses decibéis não são tolerados por animais. Nós não temos poder sobre decibéis se não existe uma regulamentação federal que fala sobre essa questão. Não existe essa informação nas caixas dos fogos de artifício. É um verdadeiro absurdo pensar no estoque dos empresários em detrimento do sofrimento dos autistas e dos animais", afirmou Josi. 

Na sequência, a vereadora contou uma experiência que teve juntamente com uma criança portadora do Transtorno do Espectro Autista durante a soltura de fogos de alto estampido. "Tive a oportunidade de acompanhar, em junho, uma criança autista em uma festa junina. É um show de horrores, a criança grita como se estivesse sendo atirada no fogo. (...)  Até quando Ponta Grossa sempre vai pensar em estoque de empresariado? Estamos cansados de sofrer. Saibam que se tiver morte de cachorro, sofrimento de familiares parentes de autistas ou perda de cachorro na virada de ano, nós também seremos responsáveis porque não estamos evoluindo. É muito grande a nossa decepção", lamentou a parlamentar. 

O principal objetivo do projeto é proteger animais domésticos e pessoas acometidas pelo transtorno do espectro autista, que podem sofrer prejuízos graves por conta do barulho excessivo dos fogos de artifício. Apesar do intuito em proibir a soltura de fogos de alto estampido, por outro lado, a matéria autoriza os fogos de vista, que produzem efeitos visuais sem estampido, assim como os similares que acarretam barulho de baixa intensidade.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE