PUBLICIDADE

Câmara rejeita abertura de CPP contra Elizabeth Schmidt

A CPP (Comissão Parlamentar Processante), se aprovada, poderia culminar na cassação do mandato da prefeita

A CPP foi rejeitada por 12 votos contrários e apenas 2 favoráveis.
A CPP foi rejeitada por 12 votos contrários e apenas 2 favoráveis. -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Por 12 votos contrários e apenas 2 favoráveis, a maioria dos vereadores da Câmara Municipal de Ponta Grossa rejeitaram a abertura de uma CPP (Comissão Parlamentar Processante) contra a prefeita Elizabeth Schmidt (PSD). O pedido foi protocolado pelo vereador Geraldo Stocco (PV) após a apresentação do relatório final da CPI da Saúde, que apontou supostas irregularidades na saúde municipal. Somente as vereadoras Joce Canto (PSC) e Josi Kieras (Psol) votaram favoravelmente à CPP. 

Caso o pedido de Stocco fosse aprovado, as investigações presentes na CPP poderiam culminar na cassação da prefeita. Entretanto, a matéria não ganhou força entre a maioria dos parlamentares. "Hoje venho não só como vereadora, mas como membro da CPI da Saúde trazer minhas palavras e meu voto favorável. Não é um processo que inicialmente irá cassar a prefeita, mas sim possibilitar a investigação", disse a vereadora Joce Canto, que integrou a CPI da Saúde nos últimos seis meses. 

"Nós podemos afirmar aqui que não houve tempo hábil para que se analise esse relatório. Porém, se analisarmos todos os pedidos de socorro que tivemos desde o início do nosso mandato, fica clara a situação grave que passa a saúde no município. Então, realmente, ninguém aqui está garantindo a cassação da prefeita. Mas é importante até para que ela possa se defender e para que nós possamos cobrar tudo o que a população está nos cobrando também", completou Josi Kieras na sequência. 

Na sequência, os vereadores Izaias Salustiano (PSB) e Julio Kuller (MDB) utilizaram a tribuna da Câmara para criticar o pedido de abertura de CPP e cobrar o Governo do Estado em relação aos problemas da saúde no município. 

CPI DA SAÚDE 

Em um documento com 137 páginas, os membros da CPI da Saúde relembraram todas as oitivas que foram realizadas, os requerimentos enviados ao Poder Executivo e as investigações externas - Entre elas, a fiscalização feita no setor de imunização do município, que revelou o vencimento de quase 6 mil doses de vacinas contra a Covid-19. Após a conclusão das investigações, a CPI enviou as informações coletadas ao Ministério Público Estadual e Federal. 

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE