PUBLICIDADE

PG é a 1ª colocada no interior na participação de ICMS

Projeção de transferência para 2023 deve chegar a quase R$ 250 milhões. Distância para Londrina e Maringá cresceu

Claudio destacou que o Valor Adicionado da indústria de Ponta Grossa é quase o dobro de Maringá e quase o triplo de Londrina
Claudio destacou que o Valor Adicionado da indústria de Ponta Grossa é quase o dobro de Maringá e quase o triplo de Londrina -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Ponta Grossa é, mais uma vez, destaque no índice de participação de ICMS no Paraná, se consolidando na 4ª posição, à frente de Londrina e Maringá, sendo o melhor do interior, considerando que as três primeiras colocações são de Curitiba, Araucária e São José dos Pinhais, que fazem parte da região metropolitana da capital. O levantamento foi realizado pela Secretaria de Estado da Fazenda com os Índices Definitivos de Participação no ICMS para 2023, nos 399 municípios.

De acordo com o levantamento, o Valor Adicionado total do Munícipio foi de R$ 10,7 bilhões de 2020 para R$ 12,5 bilhões em 2021, crescimento de 17,68% o que fez com que a projeção de transferência de ICMS para 2023 ficasse na casa de R$ 244 milhões. Para a prefeita Elizabeth Schmidt a notícia é excelente para Ponta Grossa, não apenas pela previsão de recursos, mas também por colocar Ponta Grossa em um patamar competitivo na atração de novos investimentos.

“O resultado aponta um processo de crescimento de nossa cidade, do nosso parque industrial que continua a crescer, nosso comércio está reaquecendo pós-pandemia e a produção agrícola em alta, reflexo de uma política pública de atração de investimento demonstrando que nossa cidade é competitiva e uma terra de oportunidades com ambiente de negócios favorável”, disse a prefeita.

De acordo com o levantamento, a indústria partiu de um Valor Adicionado de R$ 6,124 bilhões para R$ 7,257 bilhões, registrando um crescimento de 18,5% em comparação ao ano anterior, o que representa 57,63% de todo adicionado do município. “O Valor Adicionado de Ponta Grossa é quase o dobro de Maringá e quase o triplo de Londrina, que são cidades importantes do interior do estado. O que demonstra a força da nossa cidade no Paraná”, comenta o secretário da Fazenda, Cláudio Grokoviski.

“Por saber que temos a 4ª maior movimentação econômica da Indústria do Paraná, a Prefeitura investe na melhoria do Distrito Industrial e vê neste setor produtivo o futuro de Ponta Grossa, tanto na criação de emprego e renda, como também na geração de impostos como o ICMS e no ISSQN vindo do setor de serviços que expande devida a esta força da Indústria na cidade”, disse a prefeita Elizabeth Schmidt.

Os setores de serviços tributados pelo ICMS como energia elétrica, transporte e comunicação representam 10,52% do total do Valor Adicionado do Município, obteve um decréscimo em relação a 2020, e a cidade ocupa hoje em Valor Adicionado a 8ª posição no Estado. Já, em relação ao comércio, o levantamento apontou uma evolução de 26 % comparado com 2020, registrando um valor adicionado de R$ 3,101 bilhões, resultando na 7ª posição do Estado.

INVESTIMENTOS

O secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, José Carlos Loureiro Neto ressalta que a Prefeitura atua forte na atração de investimentos para a cidade, como também na qualificação de mão de obra para atendimento da atual demanda das empresas, mas com foco nas novas que virão. “Trabalhamos para manter Ponta Grossa como uma escolha interessante para futuros investidores”, disse Loureiro.

O levantamento aponta ainda a evolução de 37% da produção primária, que corresponde com 7,22% de todo Valor Adicionado do Município, fechando o ano de 2021 com R$ 909 milhões, ocupando a 17ª posição no estado no ano base. Mesmo com o índice apresentando uma pequena queda de -2,9%, os setores formadores da economia local responderam positivamente. Para o secretário municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Bruno Costa, Ponta Grossa historicamente é forte no setor agropecuário. “Além disso, o período do levantamento (2020 e 2021) demonstra que este segmento não teve um forte impacto com a pandemia da covid-19”, aponta o secretário.

Elizabeth anuncia que para celebrar estes resultados a Prefeitura retornará no mês de dezembro com a Premiação das 40+, valorizando as 10 primeiras empresas geradoras de Valor Adicionado total na Indústria, Comércio e Serviços tributados pelo ICMS, além também das 10 maiores contribuintes do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza. “O momento é de grande alegria, de aproveitar estes dados para pensar no futuro e trazer mais investimentos”, finaliza a prefeita.

Secretaria da Fazenda do Estado divulga os Índices Definitivos de Participação no ICMS para 2023.

Números foram divulgados na última sexta-feria, dia 30/09, e demonstram a movimentação econômica no Estado durante o ano de 2021.

SETORES:

1) Indústria

A indústria da cidade partiu de um Valor Adicionado de R$ 6,124 bilhões para R$ 7,257 bilhões crescimento de 18,50% em comparação ao ano anterior representado 57,63% de toda adicionado do Município.

Em Ponta Grossa está a 4ª maior indústria do Estado, ficando atrás somente de Araucária, Curitiba e São José dos Pinhais.

2) Comércio

Evolução de 26,02% comparado com 2020, o valor adicionado deste setor fechou em R$ 3,101 bilhões resultando na 7ª posição do Estado.

3) Serviços

Os setores de serviços tributados pelo ICMS (Energia Elétrica, Transporte e Comunicação) representam 10,52% do total do Valor Adicionado do Município, obteve um decréscimo em relação a 2020, e a cidade ocupa hoje em Valor Adicionado a 8ª posição no Estado.

4) Produção Primária

Com evolução de 37% a Produção primária responde por 7,22% de todo Valor Adicionado do Município, fechando o ano de 2021 com R$ 909 milhões, ocupando a 17ª posição no estado no ano base 2021.

VA Total

Valor adicionado total do Munícipio foi de R$ 10,7 bilhões de 2020 para R$ 12,5 bilhões em 2021, crescimento de 17,68% o que fez com que projeção de transferência de ICMS para 2023 ficasse na casa de R$ 244 milhões. 

As informações são da assessoria de imprensa

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE