PUBLICIDADE

'Dia de Inclusão Social' encaminha 170 pessoas para vagas de emprego

Evento realizado pela da Agência do Trabalhador disponibilizou 100 oportunidades exclusivas para este público

De acordo com o Setor de Serviço Social da Agência do Trabalhador, de janeiro a dezembro de 2021 foram colocados no mercado de trabalho 103 pessoas com deficiência, através da Agência do Trabalhador
De acordo com o Setor de Serviço Social da Agência do Trabalhador, de janeiro a dezembro de 2021 foram colocados no mercado de trabalho 103 pessoas com deficiência, através da Agência do Trabalhador -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A Prefeitura de Ponta Grossa, através da Agência do Trabalhador, realizou nesta semana, na Estação Arte, o Dia de Inclusão Social e Profissional das Pessoas com Deficiência e dos Beneficiários Reabilitados do INSS, oportunizando o ingresso no mercado de trabalho para o público PCD. O evento que contou com mais de 100 vagas de trabalho encaminhou 170 pessoas com deficiência, para oportunidades disponibilizadas por 54 empresas de Ponta Grossa.

Vanderlei Rosa de Oliveira, de 52 anos, é morador do Contorno. Ele conta que em 1986, devido a um acidente de trabalho, tem parte do lado direito do corpo paralisado. Desde então, para se colocar no mercado de trabalho, necessita de vagas especiais. Oliveira já atuou como porteiro, trocador, monitoramento de câmera de segurança. “O Dia D é muito importante, pois deixa mais fácil conseguir uma vaga de emprego. Atualmente, vemos mais empresas que oferecem oportunidades”, comenta.

Loraine de Ávila, de 24 anos, moradora do Jardim Los Angeles, também estava em busca de uma oportunidade de trabalho. A jovem conta que necessita da utilização de válvula para hidrocefalia e que já trabalhou em outras oportunidades em vagas exclusivas para estoquista em lojas e supermercados. “Estou em busca de uma vaga em função administrativa porque tenho curso de secretariado”, disse Loraine, que comentou querer fazer o curso de superior em Administração.

A prefeita Elizabeth Schmidt ficou satisfeita com o resultado do evento e as empresas participantes tiveram um papel fundamental. Segundo ela, a visão do empresariado ponta-grossense está mais sensível à inclusão do público PCD. “O Dia D é uma data simbólica, pois em Ponta Grossa, a Agência do Trabalhador todos os dias busca vagas para as pessoas com deficiência. Em contrapartida, muitas empresas já não se preocupam com a cota, contratando mais PCDs que o exigido por lei”, disse Elizabeth.

Rosângela Caldeira Legat, assistente social da Agência do Trabalhador, relata que há 10 anos o Programa de Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho, realiza uma busca ativa, através de contato por e-mail e telefone com as pessoas com deficiência cadastradas e que isso gera mais resultados que a procura deste público na Agência. “No ano passado colocamos 103 pessoas com deficiência em oportunidades de emprego, neste ano, até o mês de agosto já registramos 82”, conta Rosângela, que comparando com o mesmo período do ano passado, registra um incremento de 60% nas colocações. 

“Além disso, a Agência do Trabalhador realiza com as empresas a constante sensibilização da importância da abertura de vagas para o público PCD, bem como ao cumprimento da legislação que estabelece cotas para esta finalidade”, disse o secretário José Carlos Loureiro Neto, que destaca o trabalho de identificação de talentos e as qualificações necessárias para vagas que são disponibilizadas, para que se encaixem no perfil do candidato, respeitadas as suas necessidades especiais de cada candidato à vaga.

Dados de contratação PCD

De acordo com o Setor de Serviço Social da Agência do Trabalhador, de janeiro a dezembro de 2021 foram colocados no mercado de trabalho 103 pessoas com deficiência, através da Agência do Trabalhador, enquanto de janeiro a agosto deste ano, foram 88. Se comparado o mesmo período com o ano passado foi registrado um incremento de 60%, considerando apenas 59 intermediações bem-sucedidas.

Entre os tipos de deficiência, as mais colocadas são as físicas, visuais e auditivas. Em 2021, um total de 16,32% com deficiência física foram colocados no mercado de trabalho, 14,28% pessoas com deficiência visual e 2,04% com deficiência auditiva. Já, em 2022, 21,08% de colocações foram destinadas para pessoas com deficiência física, 11,56% de deficiência auditiva e 10,88% de deficiência visual.

Entre os setores produtivos que mais emprega, se destaca a Indústria com 18,36% em 2021 e 25,85% em 2022. Em segundo lugar estão as instituições de Educação, com 6,12% em 2021 e 8,84% em 2022 e o Comércio com 5,44% em 2021 e 20,40% em 2022. Já, as funções que mais geram oportunidade para o público PCD é auxiliar de produção, auxiliar administrativo e repositor. “A indústria continua sendo forte quando o assunto é inclusão. Além disso, as mulheres gradativamente conquistam mais espaço nas contratações com 37% em 2021, passando para 43% em 2022”, explica o diretor da Agência do Trabalhador, Nilton Gomes.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE