PG lidera o crescimento do VA da indústria no Paraná

Entre as sete maiores cidades paranaenses, Ponta Grossa teve o maior crescimento da geração de riquezas na indústria nos últimos dois anos. Incremento foi de R$ 1,9 bilhão

Ponta Grossa conta com o maior parque industrial do interior do Estado do Paraná
Ponta Grossa conta com o maior parque industrial do interior do Estado do Paraná -

Fernando Rogala

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A geração de riquezas do setor industrial de Ponta Grossa cresceu R$ 1,17 bilhão em 2021. No total, o Valor Adicionado da indústria acumulou R$ 7,67 bilhões no ano, montante 18,1% superior aos R$ 6,49 bilhões registrados em 2020. Cabe destacar que não é um crescimento frente a uma redução no ano da pandemia, mas sim, frente a um ano que já tinha aumentado sobre 2019, quando o VA contabilizou R$ 5,76 bilhões. Sendo assim, o segmento industrial da cidade cresceu 33,1% em apenas dois anos, em um aumento de R$ 1,91 bilhão do VA.

Esse Valor Adicionado mantém e destaca Ponta Grossa como a cidade com o maior parque industrial do interior do Paraná (e na quarta colocação geral do Estado), e a que teve o maior crescimento do Valor Adicionado do setor no período dos últimos dois anos, levando-se em conta as sete maiores cidades paranaenses (Curitiba, Londrina, Maringá, São José dos Pinhais, São José dos Pinhais e Cascavel; além de Ponta Grossa). O aumento nominal de 33% ocorreu nos dois anos impactados pela pandemia do coronavírus, que afetou a economia a partir de março de 2020.

Mais indústrias

Depois de Ponta Grossa, Maringá teve o segundo maior crescimento entre as maiores cidades paranaenses, na casa de 26,8%, ao passar de R$ 3,56 bilhões ao final de 2019 para R$ 4,52 bilhões ao final de 2021. Depois de Ponta Grossa, é de Ortigueira o maior Valor Adicionado da indústria no interior do Paraná, com R$ 4,63 bilhões, seguida por Maringá. Depois aparece Telêmaco Borba, com R$ 3,67 bilhões; Londrina, com R$ 3,26 bilhões; e Cascavel, com R$ 2,96 bilhões. Cabe destacar que Foz do Iguaçu teve um VA industrial de R$ 7,92 bilhões, mas esse valor é proveniente em R$ 7,83 bilhões de energia elétrica, ou seja, da Itaipu, e apenas R$ 91 milhões de indústrias de transformação. Levando em conta a capital e região metropolitana, o maior VA da indústria é de Araucária, de R$ 36,6 bilhões, grande parte referente à Petrobras, seguida por Curitiba (16,2 bilhões) e São José dos Pinhais (12,3 bilhões).

Esse crescimento foi observado em Ponta Grossa também frente a um aumento no número de estabelecimentos industriais na cidade, de 1.160 ao final de 2019 para 1.320 ao final de 2021, o que representa um incremento de 159 indústrias de transformação. Em termos percentuais, houve um aumento de 13,7% no número de empresas do setor.

Justificativa

Para o secretário municipal da Fazenda, Claudio Grokoviski, essa evolução da indústria frente a outras grandes cidades paranaenses é reflexo dos grandes investimentos industriais recentes. “Tivemos empresas que ampliaram, como a Heineken e o Madero, e empresas em fase de construção, que anunciaram novos investimentos. Hoje, se considerar o VA total, de R$ 12,5 bilhões, identificamos claramente que o PIB do município está na indústria, representando mais de 60% do VA de Ponta Grossa”, disse ele, projetando um crescimento ainda maior para os próximos anos, com as ampliações da Ambev, Heineken, Madero, DAF, maltaria, queijaria, entre outras. “Com isso, Ponta Grossa deve se estabelecer na quarta posição industrial do Estado”, conclui.

Soma das riquezas geradas na cidade atinge R$ 12,58 bi

O VA do comércio e da agropecuária de Ponta Grossa também cresceram. Enquanto a soma das riquezas geradas no comércio passou de R$ 3,39 bilhões para R$ 4 bilhões, em incremento de 18,2% (R$ 617,3 milhões); o setor agropecuário teve um crescimento ainda maior, de 97,3%, ao passar de R$ 628,5 milhões para R$ 1,24 bilhão (R$ 611,98 milhões). Isso fez o VA total da cidade crescer R$ 2,95 bilhões em dois anos e fechar 2021 com um montante de R$ 12,58 bilhões. É o segundo maior VA do interior do Estado, atrás apenas do registrado por Maringá, onde o comércio predominante gerou um VA de R$ 7,86 bi, elevando o Valor Adicionado total para R$ 12,66 bilhões. O terceiro maior VA do interior é de Londrina, com um total de R$ 11,6 bilhões (com predominância do comércio, de R$ 7,53 bilhões).

O que é Valor Adicionado

Em linhas gerais obtém-se o cálculo do Valor Adicionado (VA) pela diferença entre as vendas brutas e o valor total dos insumos ou produtos adquiridos de terceiros (ou seja, o lucro). Esse valor é utilizado, na macroeconomia, para a composição do Produto Interno Bruto (PIB).

Crescimento do VA da indústria das maiores cidades do PR em dois anos

Cidade                 VA

Ponta Grossa     33,18%

Maringá               26,89%

Curitiba                 25,72%

Cascavel              23,89%

Londrina              23,05%

Foz do Iguaçu    18,5%

S. J. dos Pinhais -4,86%