PUBLICIDADE

Sindserv quer funcionário de carreira no comando da FMS

Já a Associação Médica de Ponta Grossa, destaca que o referido profissional precisa saber dialogar para que tenha uma gestão eficiente

O presidente do Sindserv, Roberto Ferensovicz, justifica o pedido por entender que um servidor concursado no comando da FMS
O presidente do Sindserv, Roberto Ferensovicz, justifica o pedido por entender que um servidor concursado no comando da FMS -

Leticia Cabral

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Já a Associação Médica de Ponta Grossa, destaca que o referido profissional precisa saber dialogar para que tenha uma gestão eficiente 

Nesta segunda (9), o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Ponta Grossa (Sindserv) se manifestou publicamente sobre o momento delicado que vive a saúde pública em Ponta Grossa.  A entidade sugeriu à prefeita Elizabeth Schmidt (PSD), a nomeação de um servidor efetivo para ocupar a presidência da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

O posicionamento veio após o diálogo entre os trabalhadores e a entidade. O presidente do Sindserv, Roberto Ferensovicz, justifica o pedido por entender que um servidor concursado conhece a estrutura de saúde do Município. “Sempre defendemos a nomeação de pessoas técnicas para as pastas, aliás, ressaltamos positivamente a indicação de vários nomes de primeiro e segundo escalão no início do mandato da prefeita. Temos excelentes quadros dentre os servidores concursados e defendemos que estes sejam valorizados e a nomeação para a FMS representaria um ganho não somente para os trabalhadores do Município, mas também para toda a população” ressalta Ferensovicz.

Lembrando, que na última terça-feira (3), em entrevista ao Portal aRede, a Elizabeth confirmou que assumiria o comando da Fundação de Saúde interinamente até a escolha do novo responsável pela pasta. Porém, 25 horas depois, revogou o Decreto Municipal e nomeou o Procurador Geral do Município, o advogado, Gustavo Schemin da Matta, para acumular a função. O então responsável, o médico Rodrigo Manjabosco, foi exonerado uma semana antes na quarta (27/04).

Com o impasse no rumo da saúde em Ponta Grossa e o fato de um advogado responder sobre os assuntos na cidade, a reportagem entrou em contato com a Associação Médica de Ponta Grossa (AMP), que tem como presidente, Dr. Francisco Pereira de Barros Neto. Onde, reconhece que a saúde é é sempre será um grande desafio em qualquer das esferas públicas, seja federal estadual ou municipal. E através da imprensa, tem observado o descontentamento da população quanto ao atendimento médico em nossa cidade.

“Não há como não se sensibilizar diante da angústia e desespero de uma mãe com uma criança no colo em busca de atendimento médico ou de alguém que está na fila de cirurgia há meses. Infelizmente é uma cena que ocorre não só em Ponta Grossa”, diz Barros em nota encaminhada ao Portal.

Questionado sobre a escolha da prefeita Elizabeth Schmidt em escolher um advogado para estar frente à Fundação, a AMP, acredita que a gestora escolheu alguém de sua confiança. Porém fez algumas ressalvas, pois o efeito pode não ser o esperado.

“Temos sempre que a expectativa de que o escolhido seja alguém da área de saúde. Porém cabe a prefeita escolher um nome de sua confiança e ela deve ter seus motivos para nomear o Procurador Geral do Município Gustavo Schemim da Matta para a presidência da fundação municipal de saúde. Estar familiarizado com o assunto traz uma grande vantagem para o gestor, mas isso também não garante o sucesso da gestão. Nestes casos conta muito a sensibilidade do gestor de se acercar de pessoas que dominem o assunto”, avalia.

Sobre a escolha do novo presidente da FMS e o perfil do escolhido, o representante das Associação Médica, destaca que o referido profissional precisar saber dialogar para que tenha uma gestão eficiente. 

“Estamos vivendo momentos de instabilidade na escolha  definitiva do responsável pela condução da Fundação Municipal de Saúde, e isso não é bom pra ninguém.Ainda, tão importante quanto o conhecimento técnico é que esta pessoa tenha a habilidade de dialogar com população bem como com os diversos profissionais que comanda, responsáveis pelos atendimentos. Esperamos que isso seja prontamente resolvido para que a população tenha o merecido atendimento e os profissionais da saúde possam trabalhar dentro de uma estrutura que lhes dê  possibilidade de resolutividade e a tranquilidade de estarem sendo comandados por pessoas preparadas e comprometidas”, completou o Dr. Francisco Pereira de Barros Neto.

Novo secretário

Ainda não há uma data sobre o anúncio do nome do novo presidente da Fundação Municipal de Saúde ( FMS). Enquanto isso, o Procurador Geral do Munícipio Gustavo Schemin da Matta, segue acumulando as funções interinamente. Já o Secretário da Fazenda Claudio Grokoviski está responsável pela gestão financeira da Fundação.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE