PG gerou 678 vagas de emprego no 1º trimestre

Saldo do mercado de trabalho foi negativo em março, com mais demissões do que admissões.

Em março, indústria, comércio e serviços ficaram positivos. Apenas a construção civil teve mais demissões do que admissões
Em março, indústria, comércio e serviços ficaram positivos. Apenas a construção civil teve mais demissões do que admissões -

Fernando Rogala

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Saldo do mercado de trabalho foi negativo em março, com mais demissões do que admissões. construção civil puxou a perda de vagas

Ponta Grossa teve um mês de baixa na geração de emprego em março. Números revelados nesta quinta-feira (28) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência, apontam que o município teve 4.446 admissões e 4.488 demissões, resultando em um saldo negativo de 42 postos de trabalho perdidos. Foi a primeira baixa do ano, após um saldo positivo de 100 vagas em janeiro e de 620 em fevereiro, segundo os números mais atualizados do Caged. No total, Ponta Grossa agora conta com 93.679 trabalhadores formais com carteira assinada.  

Para o mês de março, o desempenho de Ponta Grossa foi o 17º pior do Paraná – os piores resultados foram de Guaratuba (-322), Matinhos (-244) e Paranaguá (-180). Com esse resultado de março, a cidade também está negativada no emprego no acumulado de 12 meses, ou seja, entre abril de 2021 e março de 2022: no período foram 49.819 admissões contra 49.829 demissões, resultando em um saldo de 10 negativos. Entre os 399 municípios paranaenses, é o 40º pior resultado no período. No ano, por outro lado, a cidade tem o 16º melhor resultado, com 678 vagas criadas no período. 

Tanto no mês de março quando no acumulado do ano, o principal causador do saldo negativo é a construção civil, um setor bastante volátil. Somente em março, esse ramo teve um saldo negativo de 267 vagas – somente na área de obras da infraestrutura de energia elétrica e telecomunicações foram 242 demissões, que se somaram com as 27 de construção de rodovias, ferrovias e obras urbanas. Os outros quatro setores todos criaram vagas em março: a indústria abriu 5 oportunidades; a agropecuária 42; os serviços 77; e o comércio criou 101 novas vagas. 

O Paraná fechou o primeiro trimestre do ano com a abertura de 56.225 vagas de emprego com carteira assinada, resultado que é o quinto melhor do País. Já o Brasil fechou março com a criação de 136.189 empregos formais.

Conteúdo de marca

Quero divulgar right