Elizabeth exonera Manjabosco da Fundação de Saúde

A mudança de comando na Saúde, segundo a prefeita, se dá pela necessidade de um novo modelo de planejamento

Rodrigo Manjabosco não responde mais pela presidência da Fundação Municipal de Saúde
Rodrigo Manjabosco não responde mais pela presidência da Fundação Municipal de Saúde -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A mudança de comando na Saúde, segundo a prefeita, se dá pela necessidade de um novo modelo de planejamento

A prefeita Elizabeth Schmidt anunciou nesta quarta-feira (27), que o médico Rodrigo Manjabosco não responde mais pela presidência da Fundação Municipal de Saúde. Segundo a chefe do Executivo, o nome do novo presidente será anunciado em breve. A mudança de comando na Saúde, segundo a prefeita, se dá pela necessidade de um novo modelo de planejamento e gestão para a saúde.

Alguns eventos colaboraram para o desgaste entre o médico e a prefeita. A crise na área de saúde, as constantes reclamações por parte da população, o fechamento do Pronto Socorro Municipal e as indefinições envolvendo o Hospital da Criança deterioraram a administração municipal.  Em abril, Elizabeth Schmidt anunciou a reabertura do Pronto Atendimento Infantil, no Hospital Universitário Materno-Infantil (Humai-UEPG). Segundo a chefe do Executivo Municipal, uma nova configuração na Saúde de Ponta Grossa permitiu a abertura dos serviços no Hospital. “Os recursos que até então eram utilizados no Hospital Municipal Amadeu Puppi, que passará por reformas urgentes, serão destinados ao Pronto Atendimento para a população infantil”, explicou Elizabeth. O atendimento será integrado ao sistema do Município através de parceria da Prefeitura com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e o Governo do Estado.

A prefeita explicou também que o serviço de atendimento infantil realizado na UPA Santa Paula continuará sendo disponibilizado. “É mais uma porta de entrada para situações de urgência e emergência com uma localização estratégica, por isso sua continuidade é essencial. Inclusive teremos mais um pediatra para auxiliar o atendimento nos horários de pico da UPA e, com isso, diminuir o tempo de espera. Portanto, Ponta Grossa passará a ter duas portas de entrada para atendimentos de urgência e emergência infantil”, ressaltou, frisando também que a nova configuração da Saúde ainda terá outras novidades em breve.

Sem especificar que esse serviço não seria retomado imediatamente, pais buscaram a unidade hospitalar para atendimentos de seus filhos e acabaram encontrando o local fechado. Sobre essa situação, Manjabosco concedeu uma entrevista ao Portal aRede. Ele não detalhou uma data específica para o retorno do ‘PAI’ no Hospital da Criança, entretanto afirmou que “o Município empenhararia todo seu esforço para isso acontecer. "Já estamos providenciando uma conversa entre os três entes responsáveis. Isso precisa ser celebrado dentro de um convênio. Esses procedimentos são obrigatórios, para a legalidade desse processo”, disse. Os “três entes” são a Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG), a UEPG e a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa). Desde então, a crise na saúde aumentou.

Rodrigo Manjabosco foi um dos nomes anunciados antes mesmo da prefeita Elizabeth Schmidt assumir seu mandato. Ele foi anunciado para comandar a Fundação Municipal de Saúde no dia 18 de dezembro de 2020, quando também revelou que manteria Claudio Grokoviski na Fazenda. Na época, Manjabosco era secretário-adjunto de Saúde de Ponta Grossa na gestão de Marcelo Rangel.

Em contato com o Portal aRede, na tarde dessa quinta-feira (28), o ex-secretário agradeceu ao convite para participar de uma live, sob a justificativa de estar num momento de transição.

Conteúdo de marca

Quero divulgar right