Bolsonarista agride pesquisador do Datafolha em SP

Caso foi na cidade de Ariranha, no interior paulista; situações de hostilidade são comuns contra funcionários

Caso foi na cidade de Ariranha, no interior paulista; situações de hostilidade são comuns contra funcionários
Caso foi na cidade de Ariranha, no interior paulista; situações de hostilidade são comuns contra funcionários -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Um pesquisador do Datafolha foi agredido na tarde desta terça-feira (20) com chutes e socos por um eleitor declarado do presidente Jair Bolsonaro (PL) em Ariranha (a 378 km de São Paulo), confirmando uma escalada de hostilidade contra profissionais do instituto em meio ao processo eleitoral.

O pesquisador entrevistava uma pessoa quando o eleitor Rafael Bianchini se aproximou e, aos gritos, passou a exigir que também fosse ouvido para o levantamento. "Só pega Lula" e "vagabundo" foram um dos termos gritados pelo bolsonarista no meio da rua.

O ataque começou quando o pesquisador finalizou sua entrevista com outro morador. Ele foi atingido pelas costas e o tablet usado para a entrevista foi derrubado ao chão. Quando o pesquisador reagiu às agressões, ele passou também a ser atacado por um filho do bolsonarista.

As agressões foram interrompidas com a ação de vizinhos. Foi quando o bolsonarista entrou e saiu de sua casa, em frente ao local, e ameaçou partir para cima do pesquisador com uma peixeira —ele foi contido pelo filho.

"O pesquisador estava desempenhando seu trabalho e foi covardemente agredido fisicamente. Nada justifica qualquer tipo de agressão. Estamos acompanhando um aumento da hostilidade em relação aos pesquisadores e isso é muito preocupante", afirma Luciana Chong, diretora do Datafolha.

Segundo o Datafolha, relatos de pessoas que passam gritando, acusando o instituto de ser comunista ou tentando filmar os entrevistadores como forma de intimidá-los têm sido comuns. Na maior parte dos casos, as pessoas que buscam intimidar os pesquisadores se declaram como bolsonaristas ou citam o nome do presidente Jair Bolsonaro (PL), de acordo com a diretoria do instituto.

As informações são do Yahoo!

Conteúdo de marca

Quero divulgar right