PUBLICIDADE

Bolsonaro diz que “perdeu a linha” ao ter dito que não era coveiro

Em podcast voltado ao público jovem cristão, presidente também falou sobre outras 'derrapadas' em entrevistas

Entrevista abordou diversos aspectos do atual governo
Entrevista abordou diversos aspectos do atual governo -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que ‘deu uma aloprada’ e ‘perdeu a linha’ ao fazer declarações polêmicas no início da pandemia. Ele ainda citou que retiraria a frase de que ‘não era coveiro’, dita a jornalistas quando foi questionado sobre as mortes por covid-19 em abril de 2020. O candidato à reeleição também voltou a defender o tratamento precoce, que não mostrou eficácia contra o vírus.

“Dei uma aloprada, sim. Perdi a linha. Lógico, aí eu me arrependo”, declarou o chefe do Executivo nesta segunda-feira (12), em entrevista ao podcast Collab, voltado para jovens cristãos. “A questão do coveiro eu retiraria”, pontuou.

“Eu sou o chefe da nação, sei disso. Lamento o que eu falei, não falaria de novo. Você pode ver que de um ano para cá meu comportamento mudou. Minha cadeira é um aprendizado”, emendou, ao responder o questionamento de um dos entrevistadores, cujo sogro morreu de covid-19.

Bolsonaro também voltou a dizer que usou uma “figura de linguagem” quando disse que quem tomasse a vacina contra a covid-19 poderia “virar jacaré”. “Eu não quero que ninguém passe a mão na minha cabeça por erros graves, mas besteirinhas vão acontecer. Uma palavra. Eu lamento. Hoje, eu nem falaria jacaré mais, admitiu.

O presidente também negou que tenha imitado pessoas com falta de ar. “Se pegar a imagem, eu não estou zombando de ninguém”, declarou. Ele ainda disse ter parado de falar com a imprensa, na época, porque “os caras batiam na tecla o tempo todo, eu não percebi que queriam me tirar do sério”.

O presidente ainda admitiu ter tido medo de ser contaminado. “Em 2020, quando começou a pandemia para valer, ali em março, foi terrível o negócio. O mundo ficou com medo, eu confesso que fiquei, mas não me acovardei”, afirmou.

Apesar de reconhecer que determinadas frases foram inadequadas, Bolsonaro voltou a citar o fato de ter melhorado da covid para defender remédios ineficazes para o tratamento do vírus – quando foi contaminado, em 2020, o presidente disse que havia tomado hidroxicloroquina.

“Eu tive covid, estou no grupo de risco. Eu sou idoso já, estou com 67 anos. E eu tomei o remédio. Não vou falar o nome aqui. E no dia seguinte estava bom”, declarou.

As informações são da CNN Brasil

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE