Jovem morre em confronto com a PM de Guarapuava

O homem portava um fuzil e seria suspeito de participar do ataque de Guarapuava no domingo (17)

Arma foi apreendida pela Polícia Militar
Arma foi apreendida pela Polícia Militar -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O homem portava um fuzil e seria suspeito de participar do ataque de Guarapuava no domingo (17)

Nesta quarta-feira (27), um jovem, de 20 anos, morreu durante confronto com o Pelotão de Choque da Polícia Militar, no bairro Vila bela, em Guarapuava. De acordo com informações preliminares, o jovem foi identificado como Robson da Luz Tavares, conhecido como "Monstrinho".

O confronto ocorreu na rua José Batistelli Filho e, conforme o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o socorro foi acionado, porém o homem já estava morto. A família do rapaz foi até o local e confirmou a sua identidade.

De acordo com o site RSN, há informações, ainda, de que o jovem portava um fuzil e que teria envolvimento com o ataque ocorrido no domingo (17), na cidade de Guarapuava.

Relembre o caso

Uma quadrilha com cerca de 30 integrantes fortemente armados invadiu o município de Guarapuava, no interior do Paraná, fez reféns e trocou tiros com a Polícia Militar, durante ataque a uma empresa de valores, entre a noite de domingo (17), e a madrugada da segunda-feira (18). Três pessoas, entre elas dois policiais militares, ficaram feridas. Os criminosos incendiaram veículos para bloquear acessos e atacaram o Batalhão da PM. Os reféns foram obrigados a formar um cordão humano em frente à empresa de valores.

A ação começou por volta de 23h e terminou no início da madrugada da segunda. A cidade, de 183 mil habitantes, foi acordada por tiros e rajadas de fuzil. Nas redes sociais, moradores relatam uma "noite de terror" com barulho de tiros, incêndio em veículos e reféns. O movimento de quadrilhas especializadas em megarroubos em cidades do interior tem sido chamado de "novo cangaço".

Os criminosos invadiram a região central em ao menos sete carros blindados e se dividiram. Enquanto um grupo atacava a Proforte, empresa de transporte de valores, outro atirava contra o batalhão. Dois veículos foram incendiados em frente à unidade para dificultar a saída dos policiais. Outros dois veículos foram queimados na Rodovia BR-277, que dá acesso à cidade, segundo o Corpo de Bombeiros.

Moradores que estavam nas ruas foram tomados como reféns. Um grupo deles foi obrigado a formar um cordão humano para coibir a ação da polícia. Além dos dois policiais feridos, um morador foi atingido por um tiro no braço. Ele foi atendido em uma unidade de saúde municipal. Moradores relataram que os bandidos atiraram contra postes e transformadores de energia para deixar a cidade às escuras.

Com informações da TNOnline

Conteúdo de marca

Quero divulgar right