Marco do Saneamento deve ser discutido após carnaval | A Rede - Aconteceu. Tá na aRede! Portal aRede - Aconteceu! Tá na aRede!
Publicidade

Cotidiano

Projeto foi aprovado pela Câmara dos Deputados no final de dezembro e agora segue para discussão no Senado

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Agência Brasil | Cotidiano | 25/02/2020 as 21:30h

Marco do Saneamento deve ser discutido após carnaval

Projeto foi aprovado pela Câmara dos Deputados no final de dezembro e agora segue para discussão no Senado

O Senado começa a analisar depois do Carnaval a proposta do Novo Marco Regulatório do Saneamento Básico. O texto, aprovado pela Câmara dos Deputados no final de dezembro, pretende unificar as regras do setor sob o guarda-chuva da Agência Nacional de Águas (ANA).  O principal objetivo do projeto é abrir o mercado para a iniciativa privada, de modo a garantir recursos para a universalização do abastecimento de água e da coleta e tratamento do esgoto. Essa abertura de mercado é justamente o que tem travado as negociações que começaram em 2018.

Hoje, prefeitos e governadores podem optar pela licitação ou por firmar termos de parceria diretamente com as empresas estatais. Caso a nova regra seja aprovada, após a publicação da lei, será proibido as empresas estatais firmarem novos contratos para a prestação do serviço. Parlamentares de oposição temem que a mudança na regra prejudique os municípios mais pobres, uma vez que eles não atrairiam os investimentos do setor privado. Eles também argumentam que o prazo para entrada em vigor da concorrência pode levar a aumentos nas tarifas de água no país.

Divergências

Na Câmara, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) é um entusiasta a da proposta, o governo também. Para parlamentares de oposição, a exigência de licitações e as metas de desempenho para contratos tenderão a prejudicar e alienar as empresas públicas. Além disso, o projeto de lei estabelece prioridade no recebimento de auxílio federal para os municípios que efetuarem concessão ou privatização dos seus serviços. O receio dos contrários ao texto é que a mudança na regra prejudique os municípios mais pobres, uma vez que eles não atrairiam os investimentos do setor privado.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, disse na última semana que está em busca de um entendimento para agilizar a votação da matéria. A ideia é que a proposta não receba mudanças de mérito, para que não seja necessário o retorno para a Câmara dos Deputados. Para ele, o projeto é fundamental para expandir o saneamento básico. Na visão de Davi, “não se trata apenas de levar água e esgoto para os milhões de brasileiros que não têm, significa, também, novos investimentos no Brasil”.

“Estamos buscando uma conciliação para que seja um texto que contemple o Brasil. Eu acredito que, logo após o carnaval, esse entendimento já estará construído e iremos votar rapidamente essa pauta”, garantiu o senador.

Relator

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) será o relator do PL 4.162/2019. A proposta é bem parecida com as medidas provisórias que o antecederam, MP 844/2018 e MP 868/2018 (que perderam a validade), e ao do PL 3.261/2019 de autoria de Tasso e foi arquivado. Além de centralizar a regulação dos serviços de saneamento na esfera federal, o PL institui a obrigatoriedade de licitações e regionalizar a prestação a partir da montagem de blocos de municípios.

Mudanças

A principal novidade introduzida pelo projeto é o fim dos contratos de programa, pelos quais os municípios transferem a execução dos seus serviços de saneamento para empresas públicas dos governos estaduais. Os contratos contêm regras de prestação e tarifação, mas permitem que as estatais assumam os serviços sem concorrência. A ideia é substituí-los por licitações, envolvendo empresas públicas e privadas. Os contratos de programa que já estão em vigor serão mantidos e, até março de 2022, poderão ser prorrogados por 30 anos, mas deverão comprovar viabilidade econômico-financeira.

Os contratos também deverão se comprometer com metas de universalização a serem cumpridas até o fim de 2033: cobertura de 99% para o fornecimento de água potável e de 90% para coleta e tratamento de esgoto.

Não interrupção dos serviços, redução de perdas e melhoria nos processos de tratamento também estão entre os critérios exigidos. O cumprimento das metas será verificado periodicamente e as empresas que estiverem fora do padrão poderão sofrer sanções do órgão regulador. O texto também diz que as empresas não poderão distribuir lucros e dividendos, caso tenham essa prática. Para viabilizar economicamente a prestação para cidades menores, mais isoladas ou mais pobres, o projeto determina que os estados componham blocos de municípios, que contratarão os serviços de forma coletiva. Municípios de um mesmo bloco não precisam ser vizinhos e a adesão ao grupo é voluntária.

Histórico

Segundo o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), na média brasileira, 83,5% da população é servida por rede de água e apenas 52,4% tem o esgoto coletado, dos quais apenas somente 46% são tratados, conforme os dados mais recentes do divulgados em fevereiro. Esses percentuais pouco subiram nos últimos anos, ligando o alerta para a impossibilidade de se cumprir as metas de universalização até 2033, conforme o Plano Nacional de Abastecimento (PlanSab), de 2013.

email sharing button
email sharing button
email sharing button
email sharing button

Publicidade

Recomendados

Publicidade

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ponta Grossa 06/07/2020 ás 18:10h
Publicidade
Publicidade
Ponta Grossa 06/07/2020 ás 15:40h
Campos Gerais 06/07/2020 ás 15:18h
Publicidade

LIVES RECENTES

Ao Vivo
ao vivo | 06/07/2020 ás 17:43h

Acompanhe os principais destaques desta segunda do Portal aRede

Prefeito de Tibagi comenta ações de combate à Covid-19
Jhonn Barber inova e cria equipamento para assepsia
Saiba como funciona o Conselho Cultural em PG
Ver Mais
Publicidade

PONTA GROSSA

Ponta Grossa | 06/07/2020 ás 14:34h

Fóruns continuam fechados em todo o Paraná

Ponta Grossa 06/07/2020 ás 14:10h
Publicidade
Ponta Grossa 06/07/2020 ás 09:38h
Ponta Grossa 06/07/2020 ás 08:20h
Publicidade

COTIDIANO

Cotidiano | 06/07/2020 ás 13:43h

Paciente está sem HIV após tratamento brasileiro inédito

Cotidiano 06/07/2020 ás 13:40h
Publicidade
Cotidiano 06/07/2020 ás 13:14h
Publicidade

VÍDEOS

Vamos Ler | 06/07/2020 ás 14:00h

Escola de Tibagi promove ‘festa junina’ online

Ver Mais

CAMPOS GERAIS

Campos Gerais | 06/07/2020 ás 14:35h

São João do Triunfo recebe casas novas após quase 30 anos

Campos Gerais 06/07/2020 ás 11:40h
Publicidade
Campos Gerais 05/07/2020 ás 14:32h
Campos Gerais 05/07/2020 ás 10:35h
Campos Gerais 04/07/2020 ás 18:33h
Publicidade

MIX

Mix | 04/07/2020 ás 15:27h

Projeto Palco B lança gravações ao vivo de Mello

Mix 04/07/2020 ás 06:15h
Publicidade
Publicidade

ESPORTE

Esporte | 02/07/2020 ás 15:48h

Operário treina na geada e fotos impressionam

Esporte 30/06/2020 ás 19:37h
Publicidade
Esporte 29/06/2020 ás 09:00h
Esporte 26/06/2020 ás 15:51h
Publicidade

INSANA

Insana | 24/06/2020 ás 15:10h

Idosa faz ‘BO’ na delegacia para desencalhar a filha no PR

Publicidade
Publicidade

VAMOS LER

Vamos Ler | 06/07/2020 ás 14:00h

Escola de Tibagi promove ‘festa junina’ online

AGRONEGÓCIO

Agronegócio | 02/07/2020 ás 17:56h

Cooperativas trazem segurança a produtores durante pandemia

Publicidade

ROMULO CURY

Romulo Cury | 04/07/2020 ás 06:30h

Confira a Coluna RC deste Sábado (04-07)

BOM DIA ASTRAL

Bom Dia Astral | 06/07/2020 ás 06:00h

Confira seu horóscopo para esta Segunda-feira (06/07)

EMPREGOS

Empregos | 05/07/2020 ás 08:00h

Vagas na Agência do Trabalhador para Segunda-feira (06/07)

Publicidade

MAIS LIDAS

Cotidiano | 30/06/2020 ás 09:54h

'Ciclone bomba' pode atingir o Paraná nesta tarde

Ponta Grossa 04/07/2020 ás 08:51h
Cotidiano 03/07/2020 ás 15:03h
Ponta Grossa 30/06/2020 ás 11:33h
Publicidade
Publicidade