Portal aRede - Aconteceu! Tá na aRede!
Publicidade

Cotidiano

O processo de internacionalização das empresas e cooperativas enfrenta desafios, tanto no mercado internacional quanto nas próprias organizações Foto: Divulgação
Da Redação | Cotidiano | 16/07/2019 as 17:57h

Empresas paranaenses têm dificuldade na internacionalização    

Pesquisa da pós-graduação da PUCPR aponta principais barreiras das empresas no Paraná


Companhias paranaenses vêm conquistando o mercado internacional em setores chave da economia do estado. Mas o processo de internacionalização das empresas e cooperativas enfrenta desafios, tanto no mercado internacional quanto nos processos das próprias organizações.

Para mapear esse cenário, o Programa de Pós-Graduação em Direito da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) está conduzindo um projeto com duração de sete anos. O objetivo é analisar os efeitos e desafios da internacionalização para a indústria paranaense, repassando-os para a sociedade.

O projeto, com conclusão prevista para 2020, engloba duas teses de doutorado, seis mestrados, dez PIBICs, professores doutores, pesquisadores e mais um grupo de pesquisa ligados ao tema.

 

Indústria Metal Mecânica

O levantamento aponta que a indústria metal mecânica, um dos setores mais expressivos do Paraná, enfrenta dificuldades para internacionalização. Entre os principais entraves estão burocracia excessiva, a complexidade tributária e a infraestrutura logística precária, que causam queda de produtividade e redução da competitividade.

“O atual modelo de ressarcimento de créditos de exportação é complexo e burocrático”, diz Juliane Andretta, pesquisadora que analisou os processos de internacionalização da indústria metal mecânica.

Segundo ela, o processo atual exige formalidades desnecessárias para a obtenção do registro e da declaração de exportação que, juntamente com a dispersão da legislação aduaneira, dificultam a internacionalização. “É necessário que ocorram algumas alterações legislativas, procedimentais e organizacionais”, explica.

 

Etanol e demais energias renováveis

No setor de etanol, o mercado tem potencial de crescimento em meio ao aumento da demanda no mercado internacional, após novas regulamentações do uso do etanol misturado à gasolina. Neste contexto, o Paraná se destaca por ser o segundo maior produtor de etanol, atrás apenas de São Paulo. 

Segundo Nelma Terezinha Bouard, pesquisadora participante do projeto, o que contribui para que o Paraná ganhe destaque é o solo de terra roxa característico da região, extremamente fértil para o cultivo de cana-de-açúcar. Juntamente com a condição natural favorável,  a queda no intervencionismo estatal foi um impulso para o desenvolvimento do setor. 

Por outro lado, as empresas produtoras de etanol paranaense enfrentam diversos entraves para a internacionalização: o principal delas é a dificuldade para estreitar relações com países estrangeiros para a exportação. Outro desafio é transformar o etanol em commodity para viabilizar a comercialização no mercado internacional, além de produzir em volume suficiente para atender ao mercado interno e externo.

 Mesmo assim o Paraná vem se mostrando um ambiente favorável ao desenvolvimento das empresas de energia renovável, oferecendo incentivos fiscais e fomento para busca por eficiência energética. As fontes de energia solar e eólica, especificamente, vem atraindo atenção para investimentos e desenvolvimento. Mas o cenário ainda é de entraves em infraestrutura e falta de políticas públicas nacionais para o setor.

 “A crise energética vem potencializando seus efeitos no Brasil em vista da ausência de políticas econômicas de longo prazo e dos impasses em torno da atuação da ANEEL”, afirma Luis Guilherme Natalio de Mello, participante de pesquisa sobre a crise enérgica e seus efeitos sobre a economia paranaense. Segundo ele, esse cenário está tornando o setor o carente de investimentos em infraestrutura e dependente de uma única matriz energética, a energia hidrelétrica.

 

Cooperativas

 Por outro lado, as cooperativas enfrentam desafios diferentes: o maior delas é a diversificação de produtos e a industrialização das cooperativas agrícolas, explica Matheus Camparim, um dos pesquisadores. Ele aponta ainda a necessidade de encontrar novos mercados, além dos velhos conhecidos das cooperativas nacionais.

 O Paraná conta hoje com 74 cooperativas agropecuárias filiadas à Organização das Cooperativas do Estado (Ocepar), formadas por aproximadamente 140 mil cooperados. Estas cooperativas representam 55% da economia agrícola do Estado do Paraná, além de participarem ativamente do processo de produção, beneficiamento, armazenagem e industrialização de grande parte dos produtos agropecuários produzidos no Paraná.

 “A diversificação das atividades também pode influenciar na minimização dos riscos de se operar em um único mercado”, explica Camparim. “Isso também acarreta o rompimento das barreiras protecionistas impostas aos produtos comoditizados, além de intensificar a competitividade global entre cooperativas, o que acaba chamando a atenção do consumidor final”, acrescenta.

 Vale lembrar que a indústria metal mecânica, o etanol e alguns setores das cooperativas ficaram, com restrições, por razões diferentes, no Acordo de Livre Comércio entre o Mercosul e a União Europeia. 


Com informações da Assessoria de Imprensa


Publicidade

Recomendados

Publicidade

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ponta Grossa 17/01/2020 ás 16:40h
Ponta Grossa 17/01/2020 ás 15:39h
Publicidade
Ponta Grossa 17/01/2020 ás 14:40h
Ponta Grossa 17/01/2020 ás 14:29h
Ponta Grossa 17/01/2020 ás 14:02h
Publicidade
Cotidiano 17/01/2020 ás 12:20h
Cotidiano 17/01/2020 ás 11:25h
Publicidade

VÍDEOS

Cotidiano | 16/01/2020 ás 14:19h

Dupla armada invade escola e atira contra estudantes

Ponta Grossa 14/01/2020 ás 10:29h
Campos Gerais 12/01/2020 ás 15:57h
Publicidade

PONTA GROSSA

Ponta Grossa | 17/01/2020 ás 09:19h

Homem sofre queda de sete metros de altura em PG

Ponta Grossa 17/01/2020 ás 07:58h
Publicidade
Ponta Grossa 16/01/2020 ás 21:02h
Ponta Grossa 16/01/2020 ás 20:15h
Publicidade

COTIDIANO

Cotidiano | 17/01/2020 ás 11:05h

Mario Simas Filho, diretor e colunista da IstoÉ, morre em SP

Publicidade
Cotidiano 17/01/2020 ás 10:20h
Cotidiano 17/01/2020 ás 10:00h
Publicidade

CAMPOS GERAIS

Campos Gerais | 17/01/2020 ás 10:42h

Quadrilha invade casa em zona rural e aterroriza moradores

Campos Gerais 17/01/2020 ás 10:07h
Campos Gerais 17/01/2020 ás 08:41h
Publicidade
Campos Gerais 17/01/2020 ás 07:32h
Campos Gerais 16/01/2020 ás 17:52h
Campos Gerais 16/01/2020 ás 15:48h
Publicidade

MIX

Mix | 16/01/2020 ás 04:00h

Fox Sports passará por novas mudanças em 2020

Publicidade
Mix 14/01/2020 ás 21:00h
Mix 14/01/2020 ás 04:00h
Publicidade

ESPORTE

Esporte | 17/01/2020 ás 11:20h

Operário inicia avaliações para as categorias de base

Publicidade
Publicidade

INSANA

Insana | 14/01/2020 ás 13:42h

Homem é operado às pressas após tomar viagra para touro

Publicidade
Publicidade

VAMOS LER

Vamos Ler | 10/12/2019 ás 20:10h

‘Entrevista’ é tema de atividade em 5º ano A

AGRONEGÓCIO

Agronegócio | 16/01/2020 ás 12:40h

Paraná reforça fiscalização na fronteira com Argentina

Publicidade

ROMULO CURY

ao vivo | 17/01/2020 ás 10:47h

Artista de PG produz esculturas com auxílio da tecnologia

BOM DIA ASTRAL

Bom Dia Astral | 17/01/2020 ás 07:00h

Confira seu horóscopo para esta sexta-feira (17/01)

EMPREGOS

Empregos | 17/01/2020 ás 06:00h

Vagas na Agência do Trabalhador para sexta-feira (17/01)

Publicidade

MAIS LIDAS

Ponta Grossa | 13/01/2020 ás 14:30h

Jovem é encontrada no Centro de PG e tranquiliza a família

Ponta Grossa 12/01/2020 ás 07:20h
Ponta Grossa 13/01/2020 ás 07:55h
Ponta Grossa 10/01/2020 ás 18:51h
Publicidade
Publicidade