Região movimenta R$ 16 bi com outros países em 2022

Valor movimentado com o comércio exterior entre janeiro e julho foi recorde, com alta de 26,7% sobre 2021. Municípios dos Campos Gerais ampliaram as exportações e importações

A soja com seus derivados e a celulose estão entre os produtos mais exportados pela região
A soja com seus derivados e a celulose estão entre os produtos mais exportados pela região -

Fernando Rogala

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Os municípios da região dos Campos Gerais alcançaram, nestes sete primeiros meses de 2022, um valor recorde de movimentação com outros países. Números da Secretaria de Comércio Exterior, do Governo Federal, apontam que entre janeiro e julho, entre os 31 municípios da regional, 26 fizeram negócios com outros países, totalizando R$ 16 bilhões movimentados no período, somando importações e exportações. Em relação ao ano passado, quando foram movimentados R$ 12,6 bilhões, os negócios cresceram 26,7%, o que representa um incremento de R$ 3,39 bilhões. Em relação a 2020, quando a movimentação alcançou R$ 9,2 bilhões, o crescimento foi de 74,9%, totalizando um aumento de R$ 6,89 bilhões.

O maior percentual dessas movimentações é de exportação. No total, R$ 12,07 bilhões em produtos foram comercializados para outros países apenas neste ano, valor 37,85% superior ao mesmo período no ano passado (R$ 8,75 bilhões). Esse desempenho foi impulsionado por Ponta Grossa, a cidade que mais exporta da região, que alcançou R$ 5,21 bilhões, após crescer 36,3%, e por Ortigueira, que somou R$ 2,65 bilhões, em incremento de 61,1%. Essas duas cidades ocupam a quarta e a sexta colocações, respectivamente, no ranking estadual e estão no top 100 nacional de exportações. A terceira colocada, Telêmaco Borba (R$ 1,63 bi), e a quarta, Jaguariaíva (R$ 676,5 milhões), também cresceram em relação a 2021, em percentuais de 47,3% e 76,3%, respectivamente. Tibagi e Ivaí, que não exportaram nos dois anos anteriores, neste ano comercializaram produtos, ao passo que Fernandes Pinheiro fez o inverso, não registrando exportações ainda.

Nas importações, o valor acumulado foi de R$ 4,01 bilhões, com crescimento de 2% sobre 2021. Neste sentido, foram 20 os municípios que compraram produtos de outros países, com destaque para Ponta Grossa, que somou R$ 2,8 bilhões, e para Ortigueira, que alcançou R$ 589,4 milhões, após crescer 111% em relação ao mesmo período em 2021. Em percentual, a maior alta foi de Ventania, que cresceu 9.198% ao evoluir de R$ 24 mil para R$ 2,2 milhões, ao passo que Ipiranga, que não importou em 2020 e 2021, começou a importar em 2022. Em relação a 2020, o crescimento nas importações foi de 92,7%.
Com os números crescentes de exportação, e uma leve alta na importação, o saldo da balança comercial regional foi maior em 2022. O superátiv em 2022 foi de R$ 8,05 bilhões, com alta de 67,07% na comparação com o saldo positivo de R$ 4,82 bilhões de 2021.

Paraná

O crescimento das exportações da região estão superiores às do Paraná. De janeiro a julho, as vendas externas do Paraná somaram US$ 12,6 bilhões (R$ 61,9 bilhões), crescimento acumulado de 14% na comparação com o mesmo período de 2021. Já as importações tiveram um aumento superior ao da região e alcançaram os R$ 65,7 bilhões, alta de 35% em relação ao mesmo intervalo do ano passado, resultando num déficit da balança comercial do estado em torno de R$ 520 milhões. 

Conteúdo de marca

Quero divulgar right