PUBLICIDADE

PG é uma das 100 melhores cidades para se investir no Brasil

Cidade se destaca na posição 45 entre as mais propícias para se investir na indústria no país. Município também integra o 'top 100' para investimentos em mercado imobiliário, agronegócio e educação

Cidade é uma das 50 melhores do país para se investir na área industrial
Cidade é uma das 50 melhores do país para se investir na área industrial -

Fernando Rogala

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O município de Ponta Grossa se destaca entre as 100 melhores cidades do Brasil para fazer negócios em diversas áreas. É o que aponta o estudo elaborado pela Urban Systems, que há 23 anos atua como referência em consultoria de mercado e inteligência em âmbito nacional. Nesse estudo produzido anualmente desde 2014, entre os seis segmentos econômicos avaliados, Ponta Grossa apareceu em quatro entre as 100 melhores do país, sendo destaque na área de indústria, aparecendo entre as 50 primeiras do ranking.

A cidade, que se destaca por ter o maior parque industrial do interior do Estado do Paraná, com um PIB do setor elencado entre os 50 maiores do Brasil, apareceu como a 45ª melhor cidade do país para fazer negócios na indústria. A cidade atingiu um índice de 3,047 (IQM) no estudo, sendo a quarta cidade mais bem colocada do Estado do Paraná e uma das 10 melhores do Sul do país. A líder nacional foi Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. De acordo com a Urban Systems, além de indicadores do setor industrial, o levantamento também leva em conta informações relativas a infraestrutura, acessibilidade e modais e transporte (logística).

O secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, José Loureiro, reforça que essa posição de destaque reflete o trabalho de desenvolvimento realizado no setor, com foco na atração de novos investimentos industriais. “Ficamos felizes com esse destaque; nunca tivemos nessa posição nesse ranking. É sinal que Ponta Grossa está no caminho certo. O setor está crescendo e se expandindo, gerando mais empregos, mais imposto, mais empregos, e com isso o comércio é fomentado e toda a economia cresce”, destaca.

Além disso, a posição de destaque no ranking, segundo Loureiro, coloca a cidade na ‘vitrine’ para investidores, sendo mais um indicador positivo que evidencia a cidade como um local próspero para a instalação de empresas e o desenvolvimento de investimentos. “Dessa forma, vamos conseguir atrair ainda mais indústrias, trazendo maior destaque para a cidade e avançando posições no ranking. Já temos muitas indústrias batendo na nossa porta e isso deve crescer. Ficamos muito satisfeitos”, informa Loureiro.

O secretário reforça ainda a vocação industrial da cidade, destacando que muitos investimentos devem ser revelados em 2023, em aportes de ampliações de indústrias já existentes e no anúncio de indústrias que ainda não estão instaladas. Somados os investimentos, serão bilhões anunciados para a cidade. “Em 2023, para os 200 anos da cidade, vamos ter grandes novidades de investimentos. Serão presentes para toda a população”, conclui.

Outras áreas

Entre as outras áreas de destaque no ranking, Ponta Grossa se destacou na 69ª colocação nacional no mercado imobiliário, sendo a quarta no Paraná; na 73ª posição como a melhor cidade para fazer negócios na agropecuária, sendo a sexta colocada em âmbito estadual; e 99ª melhor cidade para se investir no ramo da educação, sendo a quarta melhor do Brasil. A cidade não apareceu, neste ano, no ranking do top 100 nos setores de comércio e de serviços.

Estudo avalia diversos segmentos

O Ranking das Melhores Cidades para Fazer Negócios é calculado através da metodologia de análise estatística chamada IQM, que significa Índice de Qualidade Mercadológica. Segundo a Urban Systems, o objetivo do índice é servir como parâmetro para a qualificação de um determinado mercado, sintetizando uma variedade de informações populacionais, comerciais, urbanísticas, econômicas e infraestruturais. “O IQM é construído quando o objetivo é hierarquizar as melhores áreas potenciais para investidores”, informa o texto. No total, são entre 8 e 13 indicadores específicos de cada setor, e mais nove indicadores do macrocenário. 

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE