PG gera 669 novas vagas de emprego em junho

Cidade teve o quarto melhor desempenho do Estado do Paraná na inserção de trabalhadores no mercado de trabalho no mês passado. No acumulado do ano, saldo é de 1,8 mil novas vagas

O setor de serviços foi que mais gerou vagas na cidade, tanto no mês de junho, quanto no acumulado do ano, com 1,67 mil oportunidades
O setor de serviços foi que mais gerou vagas na cidade, tanto no mês de junho, quanto no acumulado do ano, com 1,67 mil oportunidades -

Fernando Rogala

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Cidade teve o quarto melhor desempenho do Estado do Paraná na inserção de trabalhadores no mercado de trabalho no mês passado. No acumulado do ano, saldo é de 1,8 mil novas vagas

Ponta Grossa teve, em junho, o melhor desempenho mensal de geração de emprego no ano de 2022. A diferença entre 4.617 contratações e as 3.948 demissões resultou em 669 novas vagas de emprego criadas no mês. Esse desempenho colocou Ponta Grossa na quarta posição estadual, entre as 399 cidades paranaense, no ranking dos municípios que mais geraram novas vagas em junho, atrás apenas de Curitiba (6,2 mil), São José dos Pinhais (866) e Londrina (769).

Somente em 2022, somado o saldo de emprego do primeiro semestre, um total de 1.807 novas oportunidades foram criadas na cidade, valor que coloca Ponta Grossa com o nono melhor desempenho estadual no acumulado do ano. Nestes seis meses, apenas março foi negativo, quando o número de demitidos foi maior que o admitidos em 156. Antes de junho, o melhor resultado mensal tinha sido de fevereiro, quando 637 novas vagas foram criadas.

Na análise mensal, o setor de serviços foi o que mais ampliou o número de trabalhadores, com um saldo de 460 vagas criadas nem junho. Ela foi seguida pelo comércio, que criou 230 vagas, enquanto a indústria registrou 81 novas vagas abertas. A agropecuária também ficou positiva, com 18 oportunidades, enquanto que a construção civil foi o único ramo a ficar negativo, com 503 admissões e 623 demissões, totalizando o fechamento de 120 vagas.

SEMESTRE

No acumulado do ano, o panorama é parecido com o mensal, com o setor de serviços liderando a criação de novas oportunidades e a construção civil o único ramo no vermelho. Entre janeiro e junho, somente o setor de serviços abriu 1.679 novas oportunidades, ampliando em 4,05% o total de trabalhadores neste ramo, que agora passa a ter 43.089 empregados. Depois o setor que mais contratou no ano foi a indústria, com 527 novas vagas, seguida pelo comércio, com 378. A construção deve o fechamento de 893 postos de trabalho, fruto das 3.307 admissões e 4.200 demissões. Caso a construção civil não ficasse negativada, com um valor estável, Ponta Grossa teria aberto 2,7 mil novas vagas no ano.