Plauto homenageia ex-prefeito Otto Cunha na Assembleia

Além de Cunha, outros empresários da região receberam a homenagem

Plauto Miró ao lado do ex-prefeito Otto Cunha
Plauto Miró ao lado do ex-prefeito Otto Cunha -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Além de Cunha, outros empresários da região receberam a homenagem

O deputado estadual Plauto Miró Guimarães (UNIÃO) propôs três Projetos de Lei que concede de títulos de cidadania para pessoas que exercem papel relevante na sociedade.

Um dos homenageados é Otto Santos Cunha, ex-prefeito de Ponta Grossa, que receberá o Título de Cidadão Benemérito do Paraná, dado às pessoas que nasceram no estado, em reconhecimento aos serviços prestados como empresário, político e filantropo. Durante esta semana o Projeto de Lei, apresentado pelo deputado Plauto Miró Guimarães, que concede a honraria, foi aprovado no Plenário da Assembleia Legislativa.

Plauto justificou a homenagem ao relatar detalhes da trajetória de Otto Cunha como prefeito. “Ele inovou a gestão pública ao incentivar a criação das Associações de Moradores. O deputado também enfatizou o trabalho que o ex-prefeito desenvolve como membro da provedoria da Santa Casa de Misericórdia.

Outro título de cidadania benemérita é destinado ao empresário Luiz Renato Durski Júnior, mais conhecido nos meios empresarial e gastronômico como chef Júnior Durski. Para o deputado, o advogado e empresário venceu obstáculos a partir da persistência e da força de vontade. “É um empreendedor nato que desde muito jovem, buscou conquistar o sucesso, com muita determinação e esforço”.

Plauto também está apresentando o Projeto de Lei que concede o Título de Cidadania Honorária, destinado às pessoas que nasceram fora do estado, para o agropecuarista Frans Borg. Nasceu na Holanda, mas chegou ao Brasil ainda criança. Ele se estabeleceu em Castro e além de se dedicar à agropecuária, foi um entusiasta do cooperativismo, tanto que, por 24 anos, esteve à frente da Cooperativa Castrolanda.

“Para mim, Frans Borg é um exemplo de dedicação. Não é por menos que ele se tornou umas personalidades mais influentes do agronegócio brasileiro”, destaca o deputado. Borg também é cidadão honorário de Castro, uma das homenagens que recebeu ao deixar a administração da Castrolanda.

Históricos:

Otto Santos Cunha

Otto é ponta-grossense e tem 85 anos. Foi prefeito da cidade entre os anos de 1983 e 1988. Além da incentivar a formação das associações de bairro, criou o parque de exposições da cidade e deu ênfase aos setores econômicos da indústria, turismo e agropecuária criando secretarias específicas.

Em 1990 foi eleito deputado federal. Recebeu a Comenda do Pinheiro em 2017, uma das altas honrarias do Paraná, que é outorgada às pessoas que se destacam pelas atividades que exercem em prol do estado. Atualmente, Otto compõe o conselho de provedores da Santa Casa de Misericórdia de Ponta Grossa.

Júnior Durski

 Nasceu em Prudentópolis, na região centro Sul do estado. Tem 60 anos e é formado em Direito. Passou parte da infância em Ponta Grossa. Ao retornar à cidade natal, foi eleito vereador com apenas 20 anos. Aos 22 anos, passou a empreender no ramo madeireiro.

Em 1999 ingressou no ramo gastronômico abrindo o Restaurante Durski que funciona até hoje em Curitiba.  Em 2005 iniciou o seu mais conhecido projeto, uma rede de restaurantes steakhousecom lojas espalhadas em diversas cidades do país. A produção é toda centralizada em uma cozinha com mais de 15 mil metros quadrados em Ponta Grossa.

Frans Borg

Borg nasceu em 1951 em Bourtage, na Holanda. Aos dois anos veio com a família para Castro. Começou a trabalhar na Cooperativa Castrolanda em 1975, um ano após se formar em Agronomia.

Em 1992 assumiu a cadeira de vice-presidente do Conselho de Administração da Castrolanda. Em 1996, assumiu a presidência da cooperativa, cargo que ocupou por 24 anos. O trabalho que desempenhou juntamente com outros cooperados e produtores rurais garantiu a Castro a denominação de Capital Nacional do Leite.

Conteúdo de marca

Quero divulgar right