Arroio e asfalto inacabado revoltam moradores de Oficinas

A Prefeitura começou a obra de pavimentação no local, mas parou com o serviço logo após as eleições, deixando um barranco que impede o acesso de carros a garagem de uma casa.

VÍDEO
A Prefeitura começou a obra de pavimentação no local, mas parou com o serviço logo após as eleições, deixando um barranco que impede o acesso de carros a garagem de uma casa. | Autor:

Igor Rosa

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A Prefeitura começou a obra de pavimentação no local, mas parou com o serviço logo após as eleições, deixando um barranco que impede o acesso de carros a garagem de uma casa.

Com protocolo e carnê do IPTU nas mãos, moradores da rua Raimundo Correia receberam o jornalismo do Portal aRede para denunciar o descaso do poder público, quando o assunto é infraestrutura. Uma grande cratera, que fica localizada atrás das casas na rua Raimundo Correia, em Oficinas, está aumentando dia após dia, deixando os moradores temerosos e com sensação de insegurança. No local passa um arroio, e as erosões constantes já derrubaram o muro de uma casa. Vizinhos pedem uma solução imediata para a situação. 

De acordo com Marilda de Fátima Nogueira, moradora da Raimundo Correia, a região está abandonada pela Prefeitura. "Tem uma valeta aqui embaixo, que está desmoronando, já levou meu muro e agora tá com cerca de ripa. Nós já fomos atrás, mas nunca resolveram. Eu queria que eles fizessem pelo menos um muro de arrimo para segurar o barranco", disse. "Nós temos que conviver com o medo, de entrar alguém na casa da gente, além dos bichos: ratos, baratas, que aparecem aqui em casa", complementa. 

Além do grave problema em relação ao arroio, que está desmoronando, uma moradora vive mais um drama. Olga Lopes vive na região há alguns anos e ela contou que a Prefeitura iniciou a preparação para asfaltar a rua, mas além de não dar sequência no serviço, deixou um barranco em frente a entrada da garagem. "Eles começaram a mexer aqui um pouco antes da eleição, mas em novembro parou tudo. Passaram máquina, tiraram terra e deixaram minha entrada de garagem desse jeito. Não posso recolher carro porque ficou esse degrau aqui na frente, e nem isso eles vêm arrumar", disse. 

"Eles só querem o voto da gente. Eu pago meu IPTU. É R$1.200, não é barato. Eles estragaram a frente da minha casa. Além disso, está caindo o barranco lá atrás", ressalta.

Olga já fez diversas solicitações para a Prefeitura, porém sem êxito. "Eu tenho os protocolos aqui, de 2015. Fiz umas três solicitações lá, mas como não adianta nada, eu desisti", explica. "Peço que a prefeita venha ver como está nossa condição aqui, porque não estamos aguentando mais", finaliza a moradora. 

Em nota ao Portal aRede, a Prefeitura diz que o município fez adequações no cronograma para execução dos serviços, que estão dentro do prazo de execução da obra. O documento diz ainda que houve atrasos no andamento da obra, devido à escassez de insumos. "Informamos que em breve os serviços retornarão ao normal. Até o momento, 33% da obra estão concluídos. Ao todo, serão investidos R$  1,9 milhão na pavimentação da referida rua". 

O 'Fala Cidadão' vai acompanhar de perto o desdobramento deste caso.