PUBLICIDADE

Keilla Júnia, do time Michel Teló, é a campeã do 'The Voice Brasil'

Cantora conquistou o prêmio de R$ 500 mil e um contrato com a Universal Music após ser eleita pelo público na noite desta quinta

Keilla cantou "I Will Always Love You", de Whitney Houston, e foi elogiada por Teló
Keilla cantou "I Will Always Love You", de Whitney Houston, e foi elogiada por Teló -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Keilla Júnia, de 18 anos, é a vencedora da 11ª edição do 'The Voice Brasil', da TV Globo, e conquistou o prêmio de R$ 500 mil e um contrato com a Universal Music. A cantora recebeu 51,78% dos votos do público, na noite desta quinta-feira, e, com a vitória, também deu o título de heptacampeão do reality musical a Michel Teló, seu técnico. A mineira disputou a final com Mila Santana (time Gaby Amarantos), Bell Lins (time Iza), Juceir Jr (time Lulu Santos).

"Eu quero agradecer a todos que me apoiaram. Sem Deus, sem minha família, sem meus amigos eu não estaria aqui. E também ao Teló. Veio o hepta, não é?", brincou Keilla. Dona de uma voz potente, Keilla cantou "I Will Always Love You", de Whitney Houston, em sua primeira apresentação e foi elogiada por Teló. "É muito dom". Momentos depois, ela voltou ao palco e emocionou os jurados e a plateia com a música "Como é Grande o Meu Amor Por Você" , sucesso de Roberto Carlos. 

Homenagem ao Rei Pelé

A final do "The Voice Brasil" foi dedicada a Edson Arantes do Nascimento, o rei Pelé, que faleceu aos 82 anos, em São Paulo, nesta quinta-feira, vítima de um câncer no cólon. "A gente já começa dedicando o programa de hoje ao atleta do século 20, ao nosso eterno rei Pelé. Aos fãs, amigos e parentes do craque: o carinho e a solidariedade da família The Voice Brasil. O Pelé era apaixonado por música. Nós preparamos um programa especial para levar alegria e muito amor para você aí de casa", disse Fátima Bernardes logo no início do reality. 

As informações são do jornal O Dia

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE