A preservação da Mata Atlântica é essencial para a sobrevivência da vida

Por Alexandre Gaio

Somos mais de 150 milhões de brasileiros vivendo na abrangência do bioma Mata Atlântica e devemos ter a clara percepção de que há uma relação de dependência da sua preservação com a defesa da vida e da dignidade humana.

Cientes da sua quase completa destruição “a ferro e fogo”¹ promovida durante os diversos ciclos econômicos ocorridos no Brasil desde a chegada dos europeus, não há outra decisão a ser tomada, seja no campo legal, seja no campo ético, quanto ao destino dos poucos remanescentes de vegetação nativa do bioma Mata Atlântica que, mesmo dispersos e fragmentados, ocupam aproximadamente 12% da sua formação original: a sua integral conservação e a adoção de medidas para a paulatina recuperação de áreas degradadas.

Além de milhares de espécies da fauna e da flora que possuem a sua sobrevivência umbilicalmente dependente da conservação dos poucos remanescentes de vegetação nativa, não se pode olvidar as diversas e indispensáveis funções socioambientais que esses remanescentes exercem, beneficiando direta e indiretamente toda a população brasileira, desde o controle do equilíbrio climático e dos eventos naturais extremos, a promoção da estabilidade do solo e da contenção das erosões e de inundações, a proteção da qualidade do ar e do fomento do conforto térmico, até o fornecimento da água, que é a substância dotada de maior essencialidade para a manutenção da vida e das próprias atividades econômicas.

A conservação da Mata Atlântica deve assumir, assim, papel central na tomada de qualquer decisão administrativa, judicial, legislativa e política. Não é a toa que o legislador constitucional previu a incumbência do Poder Público em preservar e restaurar os processos ecológicos essenciais para a efetivação do direito fundamental ao meio ambiente ecologicamente equilibrado às presentes e futuras gerações²  e que o legislador infraconstitucional estatui como princípio do regime jurídico do bioma Mata Atlântica a manutenção e recuperação da sua biodiversidade, vegetação, fauna e regime hídrico³.

Também decorrente da aplicação dos próprios princípios da proporcionalidade e razoabilidade, o comando de conservar os remanescentes de vegetação do bioma Mata Atlântica é bem ilustrado a partir da regra de que “os novos empreendimentos que impliquem o corte ou a supressão de vegetação do Bioma Mata Atlântica deverão ser implantados preferencialmente em áreas já substancialmente alteradas ou degradadas”⁴.

Importante destacar que a especialidade da legislação protetiva da Mata Atlântica impõe a sua prevalência sobre dispositivos conflitantes do Código Florestal, o que inviabiliza qualquer pretensão de anistia a desmatamentos não autorizados. Diante deste cenário, os Ministérios Públicos Estaduais e o Ministério Público Federal têm adotado providências para garantir a não aplicação do entendimento contido no Despacho 4.410/2020, recentemente emitido pelo Ministério do Meio Ambiente, que prevê a possibilidade de aplicação de dispositivos do Código Florestal relacionados à consolidação de ocupação de Áreas de Preservação Permanente, cujas vegetações foram ilegalmente suprimidas.

O que se espera, por ocasião da lembrança do Dia Nacional da Mata Atlântica, é a adoção de medidas pelo Poder Público, com a colaboração da sociedade, para garantir a conservação e sobrevivência desse bioma, e não o afrouxamento das suas regras protetivas.

Neutralizar os índices de desmatamento ilegal, que lamentavelmente persistem no Estado do Paraná, realizar continuamente Operações como a Mata Atlântica em Pé para buscar a reparação integral dos danos ambientais, e zelar pela não ocorrência de retrocessos na aplicação da legislação ambiental são iniciativas necessárias e importantes que o Ministério Público deve adotar para a defesa desse bioma tão ameaçado.

* Promotor de Justiça responsável pelo Núcleo de Meio Ambiente do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça (Caop) de Proteção ao Meio Ambiente e de Habitação e Urbanismo do Ministério Público do Paraná

PG mantém saldo positivo no cadastro geral de empregos

PG mantém saldo positivo no cadastro geral de empregos...

Números da depressão

Números da depressão...

Pandemia trava avanço econômico do Paraná

Pandemia trava avanço econômico do Paraná...

Prefeitura de PG nega subsídio a VCG

Prefeitura de PG nega subsídio a VCG...

Comitê Territorial prepara diagnóstico da economia regional

Comitê Territorial prepara diagnóstico da economia regional...

PR tem menor incidência, mas casos de Covid-19 aumentam

PR tem menor incidência, mas casos de Covid-19 aumentam...

Rede estadual bate recorde de alunos inscritos no Enem

Rede estadual bate recorde de alunos inscritos no Enem...

Polícia Civil soluciona 100% dos casos de desaparecimentos

Polícia Civil soluciona 100% dos casos de desaparecimentos...

Live incentiva a atividade física na cidade de Carambeí

Live incentiva a atividade física na cidade de Carambeí...

Jaguariaíva entrega blusas para alunos da rede municipal

Jaguariaíva entrega blusas para alunos da rede municipal...

Tucano é resgatado em rodovia nos Campos Gerais

Tucano é resgatado em rodovia nos Campos Gerais...

Castro registra queda na arrecadação e repasses

Castro registra queda na arrecadação e repasses...

Confira a Coluna RC desta Quarta-feira (27-05)

Confira a Coluna RC desta Quarta-feira (27-05)...

Confira seu horóscopo para esta Quarta-feira (27/05)

Confira seu horóscopo para esta Quarta-feira (27/05)...
Comentários

Deixe uma resposta

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Últimas Notícias

Capa do Dia

CHARGE DO DIA

REDES SOCIAIS