O país do futuro se constrói com inovação na indústria

Por Fabiano Lourenço

O Brasil é um país de desafios e oportunidades. Analisar a situação macroeconômica atual do país é entender que há espaço para diferentes setores crescerem e conquistarem mercado em meio à incerteza política.

Com PIB projetado a 0,80%* (conforme projeções do relatório FOCUS do Banco Central publicado em 26/08/19) para este ano, discussões acerca da Reforma da Previdência, Tributária e do cenário político, o país continua sendo um terreno fértil para o desafio de todos os setores a encontrar uma saída para lucrar pois o potencial ainda é enorme por aqui.

Evidentemente, se a economia caminha devagar em nível macro, em nível micro, diferentes setores acompanham o ritmo lento. Na indústria, a falta de demanda, o acúmulo de estoque e as condições financeiras debilitadas ganham espaço como algumas das maiores preocupações apontadas por companhias que atuam em território nacional, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Superar essas adversidades depende de múltiplos fatores, relacionados a políticas econômicas eficazes e com efeito suficientemente notório para o setor. Dentro de casa – onde é mais fácil mudar as coisas de lugar – a lição permanece a mesma: investir em produtos e serviços modernos, capazes de atender à demanda dos clientes de maneira eficaz sempre procurando aumento da produtividade. Isso está ligado à modernização de sistemas, evidentemente, mas antes disso, depende de profissionais cada vez mais qualificados, aptos a entender a cadeia de produção de maneira ampla.

Apesar de parecer relativamente óbvio, este é um ponto crucial em que muitas companhias ainda falham. Enquanto isso, nos Estados Unidos e Japão, por exemplo, o processo de formação envolve investimento contínuo em múltiplas frentes. Profissionais deixam de lado o conhecimento técnico acerca de operação de máquinas para compreender o processo como um todo, entendendo o impacto que cada função exerce dentro da linha de produção.

Essa consciência, aliada à modernização das estruturas industriais, garante a competitividade, produtividade e liderança de alguns desses países em longo prazo, com efeitos significativos nas indústrias eletrônica e automotiva. Não à toa, mesmo com o impacto das guerras comerciais e da desaceleração da China, a produção norte-americana continua crescendo (ou, no mínimo, estagnada, como registrado no mês de junho).

No Brasil, mesmo que a passos lentos, alguns benefícios relacionados à automatização de processos podem ser percebidos de maneira rápida e eficaz. No setor de autopeças, por exemplo, aperfeiçoar processos humanos com colaboradores treinados e ferramentas capazes de integrar dados integrados do chão de fábrica à esfera corporativa trazem como resultado a redução de erros, aumento da transparência, qualidade e produtividade.

É evidente que há divergências fundamentais entre ambos os países, em segmentos que vão muito além do industrial. Contudo, o horizonte de inovação pode ser mantido, dado o potencial que o mercado brasileiro representa.

No que depender das perspectivas positivas dos executivos, o caminho está trilhado. O mesmo estudo feito pela CNI mostra que as expectativas seguem positivas em relação ao aumento da produção nos próximos anos, mesmo em meio ao cenário geral tão desafiador.

Transformar o pensamento positivo em realidade demanda tempo e investimentos. Em relação ao primeiro, não há muito que ser feito – a cronologia segue seu fluxo, dia após dia – contudo, o segundo fator demanda um olhar mais atento de lideranças. Mais do que sobreviver, é necessário investir para liderar e preparar-se para o futuro que está logo a frente.

Fabiano Lourenço é vice-presidente da Mitsubishi Electric

Confira seu horóscopo para esta terça-feira (03/09)

Confira seu horóscopo para esta terça-feira (03/09)...

Vagas na Agência do Trabalhador para terça-feira (03/09)

Vagas na Agência do Trabalhador para terça-feira (03/09)...

Coluna RC desta terça-feira (03/09)

Coluna RC desta terça-feira (03/09)...

UEPG custeará bolsas de mestrado com recursos próprio

UEPG custeará bolsas de mestrado com recursos próprio...

Ciclista morre em atropelamento na Souza Naves

Ciclista morre em atropelamento na Souza Naves...

Bispo de PG se aventura em tirolesa de Feira Catequética

Bispo de PG se aventura em tirolesa de Feira Catequética...

Setembro Amarelo previne o suicídio entre jovens

Setembro Amarelo previne o suicídio entre jovens...

Turismo promove concurso gastronômico de pratos típicos

Turismo promove concurso gastronômico de pratos típicos...

AMTT alerta para bloqueios de cartões do transporte coletivo

AMTT alerta para bloqueios de cartões do transporte coletivo...

Prefeitura abre Semana da Pátria com cerimônia

Prefeitura abre Semana da Pátria com cerimônia...

Fantasma inicia treinos para enfrentar o Cuiabá

Fantasma inicia treinos para enfrentar o Cuiabá...

Conselho da UEPG rejeita Lei Geral das Universidades

Conselho da UEPG rejeita Lei Geral das Universidades...

Forte vento arranca estrutura metálica no Nova Rússia

Forte vento arranca estrutura metálica no Nova Rússia...

Autoridades fecham bares por perturbação de sossego em PG

Autoridades fecham bares por perturbação de sossego em PG...
Comentários

Deixe uma resposta

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Últimas Notícias

Capa do Dia

CHARGE DO DIA

REDES SOCIAIS