PUBLICIDADE

Súmula de Operário e Maringá expulsa seis e 'dedura' invasões

Documento foi publicação pela Federação Paranaense de Futebol na madrugada desta segunda; confusão após a partida teve série de agressões

Operário sofreu o gol de empate no último lance do jogo
Operário sofreu o gol de empate no último lance do jogo -

Sebastião Neto

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O saldo da confusão generalizada e das muitas agressões ocorridas após o empate em 2 a 2 entre Operário e Maringá, na noite deste domingo (29) no Estádio Germano Krüger, foi de seis expulsões e relatos de diversas invasões de campo cometidas por jogadores e membros da comissão técnica não relacionados para a partida válida pela 5ª rodada do Campeonato Paranaense. As punições e informações foram colocadas na súmula da partida, publicada na madrugada desta segunda-feira (30) pela Federação Paranaense de Futebol (FPF).

A equipe de arbitragem, liderada por Élvio Legnani (Foz do Iguaçu), registrou cartões vermelhos para Yago Rocha, Rafhael Lucas e Felipe Augusto, do Operário, além de Bruno Lopes, Marcos Vinícius e Max Miller (Maringá). Segundo a súmula, todos teriam agredido adversários durante a briga, com exceção de Yago Rocha, que levou o vermelho por "dirigir-se à equipe de arbitragem, bater palmas de maneira irônica, e dar um soco no ar", além de ter ofendido o árbitro do jogo com palavras de baixo calão.

Além das expulsões, Legnani também 'dedurou' atletas e membros da comissão técnica que não estavam relacionados para o jogo e invadiram o gramado para participar a confusão: é o caso do zagueiro Paulo Sérgio, que cumpria suspensão, e dos meias Marco Antônio e Luiz Henrique - ambos machucados. No caso do Maringá, a arbitragem também relata a invasão de pessoas fora do grupo de relacionados, mas não cita nominalmente nenhum jogador ou integrante da comissão técnica.

Com isso, os atletas que levaram o cartão vermelho direto não enfrentam o Aruko Sports, de Maringá, em duelo marcado para esta quarta-feira (1º) também no Germano Krüger; já os 'invasores' de campo identificados devem ser denunciados e julgados pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD).

Gandulas

Sobrou até para os gandulas: o árbitro da partida relatou o 'mau comportamento' dos colaboradores e que expulsou três deles durante o decorrer do duelo em Vila Oficinas. Segundo a súmula, um deles "foi excluído por retardar a reposição de bola, chutando a bola para longe quando o goleiro da equipe do Maringá foi buscá-la para reposição", disse o relatório. Além de Legnani, o documento da partida é assinado pelos assistentes Weldys Afonso (Cascavel) e Ronald Welter (Foz), o quatro árbitro André Olivério (Ponta Grossa), o analista Fábio Filipus (Irati) e o delegado Rodrigo Camargo (Ponta Grossa).

Com informações da Federação Paranaense de Futebol

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE