Operário perde mais uma e futuro na Série B preocupa

Alvinegro de Vila Oficinas amarga o pior primeiro turno desde o retorno à Série B

Falta de combatividade em campo assusta e revolta torcedores
Falta de combatividade em campo assusta e revolta torcedores -

Andre Bida

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Alvinegro de Vila Oficinas amarga o pior primeiro turno desde o retorno à Série B. Falta de combatividade em campo assusta e revolta torcedores

O Operário Ferroviário perdeu novamente jogando na noite desta quarta-feira (21) pelo Campeonato Brasileiro da Série B. O algoz da vez foi o Grêmio Novohorizontino, que venceu por 2 a 1, em partida válida pela 19ª rodada da competição. Jogando na casa do adversário, o Alvinegro amarga o quarto jogo sem vencer, acumula 20 pontos e fecha o pior primeiro turno, desde o retorno à Série B.

O próximo compromisso do Fantasma será na segunda-feira (25), às 19 horas, diante do Tombense, em Germano Krüger.

Pior primeiro turno desde o retorno à Série B

Além da fase negativa, o Operário amarga a pior colocação e pontuação do primeiro turno desde o retorno à Série B, em 2019. Com 20 pontos conquistados e estando na 15ª colocação, o time de Vila Oficinas entra pela primeira vez para o segundo turno da competição com chances reais de entrar na zona de rebaixamento.

No retorno a Série B, em 2019, o Fantasma terminou o primeiro turno na 6ª posição, com 28 pontos. Na época, o time era comandado por Gerson Gusmão. Em 2020, o Operário terminou o primeiro turno na 12ª colocação, com 23 pontos. O elenco era comandado pelo recém contratado Mateus Costa. No ano passado, o Alvinegro obteve a melhor pontuação no primeiro turno, terminando em 9º colocado, com 29 pontos. O time daquela época ainda era comandado por Mateus Costa.

1º tempo: Apático, Operário toma dois gols e não reage

O Grêmio Novorizontino precisou de apenas 16 minutos para abrir e ampliar o placar, frente a uma falta de combatividade do Operário Ferroviário. Logo no primeiro minuto da partida, em cobrança de escanteio, Ronaldo aproveitou a saída ruim de Vanderlei, cabeceou e abriu o placar para o time da casa.

Nos minutos seguintes, o Tigre paulista continuou pressionando o Fantasma e conseguiu o segundo gol aos 16 minutos. Em cobrança de pênalti, Ronaldo fez mais um na partida. Após os dois baques, o Operário criou pouco e voltou a pecar em passes errados e com a marcação à distância, deixando o Novorizontino tocar a bola e administrar o placar favorável.

2º tempo: Fantasma apresenta disposição, mas não evita derrota

O Alvinegro buscou maior ímpeto para reagir, mesmo assim faltava criatividade para agredir o adversário e poucas chances foram criadas. As mudanças que vieram do banco foram fundamentais para dar um gás no time. Primeiro com André Lima, que logo na primeira vez que pegou na bola acertou um chute de fora da área e passou perto da meta adversária.

Aos 26 minutos, Silvinho avançou em velocidade pela lateral do campo, cruzou e Paulo Victor, o estreante com a camisa do Fantasma, pressionou Romário (ex-Operário), que no carrinho empurrou contra a própria meta, marcando contra e descontando para o time de Vila Oficinas. Outras boas chances foram criadas nos chutes de Rafinha, aos 33 minutos, e Lucas Mendes, aos 36 minutos.

A partir dos 40 minutos, O Fantasma intensificou ainda mais o ritmo e pressionou o adversário, que se fechava e tentava ‘matar’ tempo em faltas e nas substituições.

Ficha técnica

Novohorizontino: Vinícius Almeida, Wálber, Rodolfo Filemon, Ligger, Barba, Gustavo Bochecha, Cléo Silva, Danielzinho, Quirino, Ronaldo e Lucas Tocantins. Técnico: Rafael Guanaes.

Entraram na partida: Diego Torres, Jhony Douglas, Romário, Ronald e Léo Baiano.

Operário: Vanderlei, Thales, Arnaldo, Willian Machado, Fabiano, Tomas Bastos, Lucas Mendes, Giovanni Pavani, Reina, Kalil e Silvinho. Técnico: Claudinei Oliveira.

Entraram na partida: André Lima, Paulo Victor, Rafinha, Rafael Chorão, Giovani Albuquerque.

Arbitragem

Árbitro: Marielson Alves da Silva (BA)

Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)

Quarto árbitro: Salim Fende Chavez (SP)

VAR: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)