PUBLICIDADE

Plauto Miró deixa a Alep após oito mandatos

Ao todo, Plauto somou 21,7 mil votos em todo o Paraná. Número não foi o suficiente para assegurar uma cadeira dentro do Legislativo

Deputado ponta-grossense busca nova reeleição no pleito de outubro
Deputado ponta-grossense busca nova reeleição no pleito de outubro -

Allyson Santos

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O deputado estadual Plauto Miró (União) não conseguiu se reeleger para o cargo nas eleições deste domingo (2). Ao todo, Plauto somou 21,7 mil votos em todo o Paraná, o que não foi o suficiente para assegurar uma cadeira na Assembleia Legislativa do Paraná. Na cidade de Ponta Grossa, o candidato somou mais de 8 mil votos e ficou atrás de nomes como Mabel Canto e Marcelo Rangel, que foram eleitos. Entre os candidatos da região dos Campos Gerais, ele foi o quinto mais votado no município.

Plauto representou o Paraná na Alep por oito mandatos. Em entrevista concedida ao Jornal da Manhã e Portal aRede, Plauto se pronunciou após o revés. “Recebi o resultado de forma tranquila. Estou certo de que fiz o melhor. Neste momento, só posso agradecer toda a confiança que foi depositada em mim até hoje”, afirmou. Ao ser questionado sobre seu futuro dentro da política, Plauto alegou que ainda é cedo para falar sobre o tema.

Outros nomes ficam de fora

Além de Plauto, outros nomes conhecidos da política ponta-grossense e regional não conseguiram assegurar uma cadeira na Alep nestas eleições. Um deles foi Geraldo Stocco (PV), que ainda cumpre seu segundo mandato como vereador em Ponta Grossa. Visando o cargo de deputado estadual, Stocco fez mais de 15 mil votos. Outro vereador que tentou uma vaga na Alep foi Dr. Zeca (União), que contabilizou mais de 10 mil votos. O ex-vereador de Ponta Grossa Ricardo Zampieri (PTB) também participou das eleições deste ano almejando uma vaga no Legislativo. Ele registrou 13 mil votos e não foi eleito.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE