PUBLICIDADE

Dallagnol foi o deputado federal mais votado; confira os eleitos

Ex-procurador teve 5,6% dos votos válidos. Ele foi seguido por Gleisi Hoffmann, do PT, que teve 4,2% dos votos válidos

Deltan Dallagnol foi o deputado federal mais votado do Paraná nestas eleições de 2022
Deltan Dallagnol foi o deputado federal mais votado do Paraná nestas eleições de 2022 -

Fernando Rogala

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O ex-procurador da Lava Jato e candidato a deputado federal pelo Podemos, Daltan Dallagnol, foi o mais votado para a Câmara Federal no Estado do Paraná. Ele, que ganhou notoriedade durante a Operação Lava Jato, disputou seu primeiro cargo eletivo neste ano, obtendo êxito e conquistando 344.917 votos, o que corresponde a 5,63% dos votos válidos do Estado do Paraná. Ou seja: a cada 20 eleitores paranaenses, um votou em Dallagnol. Apesar sua expressiva votação, seu partido fez apenas cadeira – o segundo mais votado pelo partido foi Hauly, com 11,9 mil.

Presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, ficou na segunda colocação no Paraná, sendo a mulher mais votada para deputada federal nessas eleições de 2022. Ela obteve 4,26% dos votos válidos, fruto dos 261,2 mil eleitores que a escolheram. Ela foi seguida por um candidato de um partido oposto ao dela, Filipe Barros, do PL, com 249,5 mil votos, ou 4,07% do total.

Beto Preto, do PSD, ex-secretário de Estado da Saúde do Paraná, que comandou a pasta no momento do coronavírus, foi o candidato escolhido por 206,8 mil paranaenses, o que corresponde a 3,37% do total paranaense, o quarto mais votado. Ele foi seguido pelo primeiro candidato da região dos Campos Gerais, Sandro Alex, também ex-secretário de Ratinho Junior (Infraestrutura e Logística) e do PSD. Sandro ampliou a votação neste ano e fechou com 168,1 mil votos, ou seja, 2,74% do total.

Do sexto ao oitavo mais votados no Paraná aparecem três candidatos bolsonaristas. Felipe Francischini, do União Brasil, teve 164 mil votos, o que significa 2,68% do total de votos válidos. Sargento Fahur, do PSD, foi o sétimo, com 161,9 mil votos, ou seja, 2,63% do total; seguido por Giacobo, com 2,48%, fruto de 152,3 mil votos.

Encerram o ‘top 10’ estadual os candidatos Delegado Matheus Laiola, do União, com 132,7 mil votos (2,17%); e Carol Dartora, com 130,6 mil votos (2,13%). Enquanto Laiola ficou conhecido pela causa animal, Carol foi a primeira vereadora negra de Curitiba, que se tornou a primeira deputada federal negra pelo Estado do Paraná.

Candidato mais votado agradece aos eleitores

Após o resultado das eleições, Deltan Dallagnol publicou um vídeo, em rede social, agradecendo aos seus eleitores. Ele disse que sua eleição, como o mais votado do Paraná, representa uma mensagem dos Paranaenses, que exprimem o desejo do fim da corrupção. “Obrigado, obrigado. O primeiro maior mérito dessa eleição minha é de Deus. Que me deu uma eleição maior do que eu poderia imaginar, a maior do Paraná. E o segundo é do povo paranaense, que passou um recado para os corruptos. A Lava Jato renasceu hoje como uma fênix, não das cinzas, mas das urnas e dos corações das pessoas. O povo deixou uma mensagem clara ao votar em mim, que é a mensagem: ‘Corruptos, vocês não vencerão’”, discursou.

PSD conseguiu sete cadeiras em Brasília; Coligação do PT conquistou seis

O partido que conseguiu mais cadeiras a Federal, conforme o quociente eleitoral, é o PSD, com sete candidatos. Logo depois aparece a coligação do PT, PV e PC do B, com seis cadeiras, e outros dois partidos com cinco e quatro cadeiras: o PL e o PP. Na sequência apareceu o União, com três cadeiras na Câmara Federal. Já com apenas uma cadeira, aparecem cinco partidos: Podemos, PSDB, MDB, PSB e PROS.

Luizão Goulart, do Solidariedade, teve 96,5 mil votos e não conseguiu se eleger, por seu partido não conseguir uma cadeira. Por outro lado, Padovani, do União, mesmo com 57,1 mil votos, conseguiu se eleger, devido às quatro cadeiras do partido. Da mesma forma, Beto Richa, do PSDB, fez 64,8 mil votos, sendo o 31º mais votado, mas não entrou – o PSDB conseguiu apenas uma cadeira, ocupada por Jocelito.

Estado tem 12 ‘novos’ deputados estaduais

Entre os 26 candidatos que tentaram a reeleição, oito não obtiveram êxito e ficaram de fora da Câmara Federal para a gestão 2023-2026. São eles: Christiane Yared (PP), Gustavo Fruet (PDT), Hermes ‘Frangao’ Parcianello (MDB), Luizão Goulart (Solidariedade), Marco Brasil (PP), Evandro Roman (PP), Rubens Bueno (cidadania) e Reinhold Stephanes (PSD).

Por outro lado, são 12 nomes que passam a integrar a Câmara Federal: Deltan Dallagnol (Podemos), Beto Preto (PSD), Matheus Laiola (União), Carol Dartora (PT), Tião Medeiros (PP), Tadeu Veneri (PT), Paulo Litro (PSD), Jocelito Canto (PSDB), Geraldo Mendes (União), Diego Garcia (Republicanos), Dilceu Sperafico (PP) e Padovani (União)


Confira a lista completa dos eleitos no Paraná:

Deltan Dallagonol (Podemos)

Gleisi Hoffmann (PT)

Filipe Barros (PL)

Beto Preto (PSD)

Sandro Alex (PSD)

Felipe Francischini (PL)

Sargento Fahur (PL)

Giacobo (PL)

Delegado Matheus Laiola (União Brasil)

Carol Dartora (PT)

Zeca Dirceu (PT)

Tião Medeiros (PP)

Pedro Lupion (PP)

Ricardo Barros (PP)

Sérgio Souza (MDB)

Luciano Ducci (PSB)

Aliel Machado (PV)

Ênio Verri (PT)

Tadeu Veneri (PT)

Paulo Litro (PSD)

Leandre (PSD)

Luísa Canziani (PSD)

Jocelito Canto (PSDB)

Toninho Wandscheer (PROS)

Luiz Nishimori (PSD)

Geraldo Mendes (União Brasil)

Vermelho (PL)

Diego Garcia (Republicanos)

Dilceu Sperafico (PP)

Padovani (União Brasil)

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE