PUBLICIDADE

Tribunal condena réus denunciados pela morte de professor em Curitiba

Condenações chegam a 26 anos pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver e fraude processual

Ronaldo Pescador, de 40 anos, foi morto após ser torturado na capital paranaense
Ronaldo Pescador, de 40 anos, foi morto após ser torturado na capital paranaense -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O Tribunal do Júri de Curitiba condenou, na última terça-feira (27), quatro pessoas denunciadas pelo Ministério Público do Estado do Paraná (MP-PR) como responsáveis pela morte de um homem em 30 de novembro de 2019 – ele era professor. Os réus foram condenados pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver e fraude processual e as penas fixadas foram de 26 anos para dois réus e de 22 e 18 anos para os demais.

De acordo com a denúncia, na data do crime, na residência de um dos denunciados, os réus teriam agredido a vítima, desferindo socos e chutes e utilizando um martelo, uma faca e um cinto. Segundo as investigações, foi utilizado meio cruel, já que os réus, enquanto golpeavam o professor e o estrangulavam com um cinto, o asfixiaram com uma peça de roupa íntima. Os denunciados ainda tentaram ocultar o cadáver, enrolando-o em diversos tecidos e colocando-o no interior de um veículo, no bairro Alto Boqueirão. Posteriormente, os réus tentaram induzir a erro a perícia criminal, retirando do local onde o homicídio ocorreu o colchão onde a vítima foi morta e lavaram os vestígios de sangue.

Na sessão do Tribunal do Júri, o 'Conselho de Sentença' acolheu todas as teses do MP-PR, sendo consideradas as qualificadoras do uso de meio cruel e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima. Os denunciados já estavam presos provisoriamente e seguem detidos. Também não foi dado a eles o direito de recorrer em liberdade.

Com informações: assessoria de imprensa.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE