PUBLICIDADE

Presidente do TSE apresenta sala de totalização de votos

Ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, e várias entidades fiscalizadoras puderam visitar o espaço do Tribunal Eleitoral

Servidores da Justiça Federal farão o monitoramento da soma dos votos nas Eleições 2022
Servidores da Justiça Federal farão o monitoramento da soma dos votos nas Eleições 2022 -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, apresentou, nesta quarta-feira (28), a representantes das entidades fiscalizadoras das eleições a chamada sala de totalização, em que servidores da Justiça Federal farão o monitoramento da soma dos votos nas Eleições 2022.

O local, formado por divisórias de vidro, montadas dentro do Centro de Divulgação das Eleições (CDE), no terceiro andar do TSE, estará aberto, a partir das 16h30 do próximo domingo (2), para que as entidades fiscalizadoras das eleições possam acompanhar o andamento da totalização de votos. “É uma sala aberta, uma sala clara, não é nem uma sala secreta, nem uma sala escura”, afirmou Moraes, referindo-se a boato de que haveria contagem de votos em uma sala secreta no TSE.

A 'Seção de Totalização', como é oficialmente chamada, é composta por diversos computadores e telas nas quais os servidores do TSE monitoram o sistema de totalização de votos – um conjunto de programas desenvolvidos pela Justiça Eleitoral, especificamente para somar os boletins de urna impressos. “Essas pessoas não contam votos, essas pessoas monitoram o ambiente de informática para que os sistemas, já lacrados, sejam executados adequadamente, sem sobressaltos”, explicou Júlio Valente, secretário de Tecnologia da Informação do TSE.

O presidente do TSE reforçou que a contagem é realizada pelos sistemas desenvolvidos e lacrados pela Justiça Eleitoral e cujos códigos foram previamente inspecionados pelas entidades fiscalizadoras das Eleições 2022. “A sala de totalização acompanha justamente para evitar algum problema na rede, para evitar alguma sobrecarga”, acrescentou o ministro.  

Diversos representantes de partidos e de algumas das dezenas de entidades fiscalizadoras das eleições, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Ministério Público (MP), a Polícia Federal (PF), o Tribunal de Contas da União (TCU), da Controladoria-Geral da União (CGU) e o ministro da Defesa, Paulo Sergio Nogueira, estiverem presentes, nesta manhã no TSE, para conhecer a sala de totalização. Também compareceram os membros de missões de observação internacionais.

Todos assistiram a uma apresentação do secretário Júlio Valente sobre o funcionamento da sala de totalização. De acordo com ele, nenhum questionamento foi efetuado durante a apresentação.

Com informações: Agência Brasil.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE