PUBLICIDADE

Advogado é preso no PR após chamar delegado de 'folgado'

Situação aconteceu após o cliente ter recebido voz de prisão por um acidente que aconteceu há um ano atrás

Situação aconteceu após o cliente ter recebido voz de prisão por um acidente que aconteceu há um ano atrás
Situação aconteceu após o cliente ter recebido voz de prisão por um acidente que aconteceu há um ano atrás -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Um advogado foi preso por desacato enquanto acompanhava um cliente na Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran). A situação aconteceu na tarde de sábado (24), após, segundo o defensor, o motociclista ter recebido voz de prisão por parar o depoimento sobre o acidente que sofreu há um ano atrás. A Polícia Civil diz que os policiais agiram corretamente após serem desrespeitados.

Segundo o advogado Rodrigo Cunha, que chegou para defender o colega de trabalho, o advogado Caio Percival estava na delegacia para acompanhar o trâmite da investigação do acidente que aconteceu no ano passado.  “No momento em que entendeu que o cliente não precisava mais continuar com o depoimento, ele pausou e o cliente recebeu voz de prisão. Ele se posicionou em face ao abuso de autoridade e também recebeu voz de prisão”. 

O motivo da prisão do cliente, que pilotava uma moto no dia do acidente e acabou ferido atropelado, foi arbitrário, segundo o advogado. “Disseram que, na situação do acidente, por estar sem CNH, ele [o motociclista] teria que ficar preso hoje. Mas o acidente ocorreu há mais de um ano. Isso é uma grande ilegalidade, um grande absurdo”.

Um vídeo feito por uma pessoa que estava acompanhando Caio mostra o momento em que o advogado é preso por desacato. Por duas vezes, o advogado chama os policiais – primeiro um investigador e depois o delegado – de folgados.  Após ser detido, Caio Percival foi colocado numa cela da delegacia. Segundo Rodrigo Cunha, o advogado não desacatou os policiais.

“Caio ficou preso e nos posicionamos para defendê-lo, porque em momento algum houve qualquer tipo de desacato. Caio está na defesa, tem suas prerrogativas, é um advogado e merece respeito”. 

Prisão arbitrária, diz advogado

O advogado ficou detido por um tempo, até que foi solto após, segundo os advogados que o acompanhavam, aproximadamente 7h de prisão. Em frente à Dedetran, ele gravou um vídeo comentando o assunto.  “Uma prisão ilegal, arbitrária, tirana, que ofende a toda a nossa classe e a todas as nossas prerrogativas”. 

Segundo Caio Percival, o cliente era ouvido normalmente, por um investigador, e quando ele entendeu que não era mais necessário continuar com o depoimento, ele se posicionou para que o motociclista parasse. 

“Nesse momento, o investigador deu voz de prisão ao meu cliente. Uma prisão extemporânea, de um ano atrás, por uma situação que daria tão somente uma multa, já que se trata de uma violação administrativa. Meu cliente, há um ano atrás, estava pilotando  uma moto sem CNH, o que causou a prisão dele”. 

Segundo os advogados, Caio registrou boletim de ocorrência e deve representar contra os policiais por abuso de autoridade, para que a situação seja apurada.

A Polícia Civil do Paraná informou, por nota, que já tomou conhecimento dos fatos. “Pela análise preliminar das imagens, fica claro que os policiais agiram corretamente ao serem desrespeitados pelo advogado. As circunstâncias gerais que envolveram o ocorrido serão analisadas”, conclui.

As informações são da Rádio Banda B

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE