PUBLICIDADE

Empresário acusado de matar jovem a facadas no PR vai a júri popular

O réu foi denunciado por homicídio simples e contravenção penal por vias de fato pelas agressões à esposa da vítima

Adnei Anélio Rotta vai a júri popular por homicídio simples.
Adnei Anélio Rotta vai a júri popular por homicídio simples. -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O empresário Adnei Anélio Rotta, de 44 anos, acusado de matar o jovem Gabriel Baiça Neto, 26, em um drive-thru de Cascavel, no Oeste do Paraná, vai a júri popular. A decisão foi durante uma audiência de instrução no Fórum da cidade nesta quarta-feira (21).

O réu foi denunciado por homicídio simples e contravenção penal por vias de fato pelas agressões à esposa da vítima. Na mesma audiência, Adinei teve a prisão preventiva revogada. Ele deixou a Coordenação Regional do Departamento de Polícia Penal (Deppen) e vai responder ao processo em liberdade.

A defesa técnica tem prazo de cinco dias para recorrer. Caso não haja recurso, será marcada a data do julgamento. O advogado Roberto Brzezinski, que faz a defesa de Adinei, esteve no Fórum durante a audiência, mas não quis se pronunciar.

O crime no drive-thru

Gabriel foi morto em um domingo, dia 22 de maio. O crime ocorreu após uma discussão na fila do drive-thru de um restaurante localizado na Avenida Brasil, no Centro de Cascavel.

Gabriel Baiça Neto foi morto aos 26 anos em Cascavel.
Gabriel Baiça Neto foi morto aos 26 anos em Cascavel. |  Foto: Reprodução
  

Ele, a esposa e um amigo se envolveram em uma discussão com Adinei, que também aguardava na fila. A vítima foi atingida por golpes de faca. O rapaz sofreu uma perfuração no tórax e outra no braço. Gabriel chegou a ser socorrido por uma equipe do Siate, mas teve uma hemorragia e morreu na manhã seguinte, no Hospital Universitário.

A briga foi registrada pelas câmeras de segurança do restaurante. Outras câmeras filmaram Gabriel atravessando a avenida e caindo no chão até o atendimento da ambulância.

Na ocasião, Adinei deixou o local e passou três semanas foragido. Ele se apresentou à polícia após ter habeas corpus, que deu direito à prisão domiciliar. Em julho, ele voltou para a cadeia, onde ficou até esta quarta-feira.

Com informações, Banda B

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE