PUBLICIDADE

PM diz ter sofrido com relacionamento abusivo; assista

O caso aconteceu nesta terça-feira (13), na Rua Francisco Nunes, no bairro Rebouças, em Curitiba

Dyegho Henrique Almeida da Silva publicou um vídeo no status do WhatsApp após ter matado a tiros a ex-mulher
Dyegho Henrique Almeida da Silva publicou um vídeo no status do WhatsApp após ter matado a tiros a ex-mulher -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O policial militar Dyegho Henrique Almeida da Silva publicou um vídeo no status do WhatsApp após ter matado a tiros a ex-mulher, nesta terça-feira (13), em que diz ter sido “vítima de um relacionamento abusivo”. Após os disparos, ele se trancou dentro do Citroën C3 de cor branca com o corpo da vítima. Equipes policiais isolaram o local tentando negociar sua rendição até por volta das 21h15, quando o PM tirou a própria vida com um tiro. O caso aconteceu na Rua Francisco Nunes, no bairro Rebouças, em Curitiba.

“Só para todo mundo saber, homem também sofre relacionamento abusivo. Homem é abusado, esculachado, passa por muita coisa na mão de uma mulher e isso afeta o psicológico, afeta tudo. No primeiro sinal de abuso, fuja rapaziada. Vocês não merecem”, disse o policial no vídeo.

Segundo testemunhas, o homem chegou a bordo de uma moto, abordou a mulher que estava com uma adolescente de aproximadamente 11 anos dentro do Citroën C3 e atirou contra ela. Ainda não se sabe a motivação do crime. A adolescente teria conseguido fugir de dentro do carro. O momento foi registrado por câmeras de segurança na região.

VÍDEO
Almeida publicou um vídeo no status do WhatsApp após ter matado a tiros a ex-mulher | Autor: Reprodução
  

“Eu estava passeando com meu cachorro e ouvi cerca de oito disparos. Fomos correndo ver o que aconteceu. A PM [Polícia Militar] chegou muito rápido. O atirador estava em uma moto vermelha, parou o carro branco, deu cinco tiros, uma pausa de 10 segundos e mais três tiros. A menina que estava de passageira está muito abalada e contou que o homem é padrasto dela”, disse a testemunha da ocorrência à Banda B.

Horas após o início da negociação, a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) comunicou que abonará as faltas dos estudantes devido ao trânsito lento provocado pelo crime no bairro Rebouças, em Curitiba.

“Cientes do congestionamento significativo ao redor do Câmpus Curitiba, comunicamos que os estudantes com aula no período noturno, nesta terça-feira (13/09), terão suas faltas abonadas no primeiro e segundo horários. Afirmamos que não há riscos para estudantes e colaboradores que precisam chegar ou sair da Universidade”, divulgou a instituição, em nota publicada nas redes sociais.

Com informações da Banda B

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE