OMS declara que nova varíola é uma emergência internacional

Decisão sobre a chamada 'Varíola dos Macacos' foi tomada após reunião do comitê de especialistas que analisa a situação do vírus

Decisão sobre a chamada 'Varíola dos Macacos' foi tomada após reunião do comitê de especialistas que analisa a situação
Decisão sobre a chamada 'Varíola dos Macacos' foi tomada após reunião do comitê de especialistas que analisa a situação -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Decisão sobre a chamada 'Varíola dos Macacos' foi tomada após reunião do comitê de especialistas que analisa a situação do vírus

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, anunciou neste sábado (23) que a varíola dos macacos é uma emergência de saúde pública de interesse internacional.

A decisão foi tomada após reunião do comitê de especialistas que analisa a situação do vírus ao redor do mundo, na última quinta-feira (21/7). Segundo Tedros, no decorrer do encontro, o grupo não conseguiu chegar a um consenso sobre transformar ou não a doença em emergência internacional.

Tedros, no entanto, decidiu alterar o status de alerta do vírus mesmo sem uma decisão do comitê. “Temos um surto que se espalhou rapidamente pelo mundo, por meio de novos modos de transmissão sobre os quais entendemos muito pouco”, disse.

A OMS declara emergência internacional quando existe um “evento extraordinário” que traz risco à saúde pública de outros estados, por meio da disseminação internacional da doença. O status foi adotado em outros surtos ao longo da história, como a crise do H1N1, em 2009, e do zika vírus, em 2016.

Para tomar a decisão, Tedros considerou cinco elementos: crescimento de casos em países que nunca registraram o vírus; critérios do Regulamento Sanitário Internacional para declarar emergência internacional; falta de consenso no comitê de emergência; princípios científicos; e o risco à saúde humana.

De acordo com a OMS, no atual surto, já foram computados 16 mil casos de varíola dos macacos em 75 países.

As informações são do site Metrópoles