Acidentes nas rodovias federais da região crescem 19%

Aumento das ocorrências, especialmente nos trechos urbanos em Ponta Grossa, estão causando transtornos aos motoristas

Aumento das ocorrências, especialmente nos trechos urbanos em Ponta Grossa, estão causando transtornos aos motoristas
Aumento das ocorrências, especialmente nos trechos urbanos em Ponta Grossa, estão causando transtornos aos motoristas -

Sebastião Neto

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Aumento das ocorrências, especialmente nos trechos urbanos em Ponta Grossa, estão causando transtornos aos motoristas

As rodovias federais da região dos Campos Gerais registraram aumento de 19% nos acidentes durante os seis primeiros meses de 2022. A comparação, em relação ao mesmo período do ano passado, foi apresentada em relatório enviado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) ao portal aRede e Jornal da Manhã; mesmo com o aumento nos acidentes, a PRF registrou queda no número de feridos graves (3%) e óbitos (29%).

O levantamento compreende trechos das BRs 277, 376, 373 e 153, inclusive dos trechos urbanos que cortam Ponta Grossa, casos das avenidas Presidente Kennedy e Souza Naves. “Tivemos um forte trabalho com as demais forças de segurança no sentido de diminuir os acidentes graves, ou seja, aqueles que causam mais letalidade, como por exemplo as colisões frontais, atropelamentos e colisões transversais”, explica Aurélio Santos, inspetor-chefe da Polícia Rodoviária Federal na região.

Entre os acidentes mais registrados estão as saídas de pista, que correspondem cerca de 25% das ocorrências, além das colisões traseiras (20,3%) e laterais (10,3%); já entre as causas dos acidentes a falta de atenção lidera com quase 22%, seguida de perto pela velocidade incompatível (20,5%) e a ingestão de bebidas alcoólicas antes de dirigir (9%). “Os acidentes sem vítimas estão relacionados especialmente com a falta de atenção dos motoristas, principalmente pelo uso do celular”, ressalta Santos.

Transtornos em Ponta Grossa

O aumento nos acidentes, especialmente as colisões traseiras, são sentidos pelos motoristas no perímetro urbano de Ponta Grossa: as ocorrências, como acidentes e até mesmo caminhões com problemas mecânicos, estão causando filas quilométricas nas rodovias do entorno do município e complicando a vida de moradores da região e também dos motoristas de longas distâncias. Para o inspetor-chefe, os problemas no trânsito das avenidas Presidente Kennedy e Souza Naves se acentuaram por uma sequência de fatores.

“As causas são principalmente o aumento do fluxo, após o fim dos pedágios, somado a veículos com manutenção deficitária e ainda os acidentes do tipo colisão traseira, causados em parte pela falta de atenção e o uso abusivo de aparelhos celulares. Além da questão de termos uma rodovia competindo com o trânsito local, com uma tendência ao aumento dos conflitos”, pontua. Com o fim das concessões rodoviárias no Paraná, em novembro do ano passado, o atendimento de ocorrências nas rodovias é feito pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER) e os órgãos de saúde e segurança vinculados ao estado e União.

Soluções

Para a PRF nos Campos Gerais, a solução para os problemas que se acentuam nas rodovias que cortam Ponta Grossa está na construção de um novo contorno, que está previsto para ser tirado do papel no novo projeto de concessões rodoviárias para o Paraná. “O planejamento para o contorno rodoviário do Município trará a separação necessária do fluxo de veículos pesados com o fluxo de veículos leves”, pondera Aurélio Santos.

Acidentes na região dos Campos Gerais - Rodovias Federais

Total: 284 (2021) x 339 (2022)

Feridos Leves: 185 (2021) x 248 (2022)

Feridos Graves: 106 (2021) x 103 (2022)

Óbitos: 31 (2021) x 24 (2022)