Associação de caminhoneiros ameaça nova greve geral

Entidade avalia que o aumento se deve à política de preços da Petrobras que vem causando "caos econômico" na sociedade

Entidade avalia que o aumento se deve à política de preços da Petrobras que vem causando "caos econômico"
Entidade avalia que o aumento se deve à política de preços da Petrobras que vem causando "caos econômico" -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Entidade avalia que o aumento se deve à política de preços da Petrobras que vem causando "caos econômico" na sociedade

Após a Petrobras anunciar um novo reajuste de 14,25% e 5,18%, no diesel e na gasolina, respectivamente, a Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava) cobrou o presidente Jair Bolsonaro (PL) e ameaçou, em nota divulgada nesta sexta-feira (17), que pode realizar uma nova greve no Brasil.  

"A verdade é que, de uma forma ou de outra, mantendo-se essa política cruel de preços da Petrobras, o país vai parar novamente, se não for por greve, será pelo fato de se pagar para trabalhar. A greve, é o provável", afirma a nota da associação.  

O novo aumento no diesel acontece 39 dias depois do último reajuste, de 8,8%. Já a gasolina estava há quase cem dias (99) sem aumento, quando subiu 18,7%. Com o anúncio, o preço médio de venda de gasolina da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro. Para o diesel, o valor passará de R$ 4,91 para R$ 5,61 por litro.

A associação, liderada por Wallace Landim, o "Chorão", entende que o aumento se deve à política de preços da Petrobras que vem causando "caos econômico" na sociedade.  

Para "Chorão", um dos líderes da greve dos caminhoneiros em 2018, não ter reestruturado a política da empresa foi a "grande falha e incompetência do Governo Bolsonaro". As críticas também não poupam o ministro da Economia, Paulo Guedes.  

"O Ministro apelidado de posto Ipiranga, que deveria resolver esse problema é o grande culpado deste caos, e hoje chegamos nesse ponto crítico, sendo que ainda temos sérios riscos de falta de diesel. Bolsonaro precisa entender que ficar dando "xilique" não vai resolver o problema", criticam.

"Os caminhoneiros autônomos tem 3 grandes contas para pagar: 1º A nossa casa, (aluguel, comida, luz, água e etc.), 2º o Diesel (sem ele o caminhão não anda), 3º a manutenção do caminhão, essa terceira conta não está sendo paga, colocando em risco sua própria vida e a de terceiros. O caminhoneiro estão sendo esmagado pela inflação e pela alta do diesel", finaliza o texto.

Bolsonaro vai propor CPI da Petrobras

Durante entrevista compartilhada em suas redes sociais, o Bolsonaro afirmou que conversa com Arthur Lira, presidente da Câmara, para propor um CPI para investigar diretores e o conselho da Petrobras.  

Em sua fala, o presidente entende que a postura da estatal em aumentar o preço dos combustíveis é uma "traição ao povo brasileiro".  

ICMS

No mesmo dia do anunciou da alta no preço da gasolina e do óleo diesel, o ministro André Mendonça, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou que as alíquotas do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias (ICMS) dos combustíveis sejam uniformes em todo o país.  

A decisão determina que a base de cálculo do imposto para os combustíveis passa ser fixa pela média de preços praticados nos últimos cinco anos (60 meses).

Com informações da Band