PUBLICIDADE

Cidades da região mostram força em todos setores do agronegócio

Cidades dos Campos Gerais lideram ou estão entre as maiores do Estado em produções de grãos da safra de verão, da safra de inverno, silvicultura, produção pecuária, silagem, hortaliças, fruticultura e até mesmo em flores e especiarias

Em papel e celulose, Telêmaco concentra 25% da produção do Paraná. Em tora de madeira, o ‘top 6’ paranaense é regional, com Arapoti em 1º
Em papel e celulose, Telêmaco concentra 25% da produção do Paraná. Em tora de madeira, o ‘top 6’ paranaense é regional, com Arapoti em 1º -

Fernando Rogala

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Os municípios da região dos Campos Gerais estão entre os líderes do Paraná e do Brasil em diferentes itens da produção primária. Essa liderança vai além do leite: em praticamente todas as diferentes áreas da agricultura, pecuária e silvicultura há municípios que se não estão entre os que mais produzem, estão entre os cinco maiores produtores paranaenses. É assim com mais de 70 produtos, incluindo hortaliças, fruticultura, flores, especiarias, entre outros, conforme os dados do Valor Bruto de Produção (VBP), revelados pelo Governo do Paraná, através do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento (Seab).

Quando se fala em agronegócio na região, a primeira coisa que vem à cabeça é a soja. E, nesse cultivar, o município líder do Estado está nos Campos Gerais: Tibagi superou Cascavel para se tornar a maior produtora do grão, com 379 mil toneladas retiradas dos campos nas duas safras, rendendo um VBP de quase R$ 1 bilhão. E a região vai além, com Ponta Grossa se destacando na 4ª posição estadual (mais da metade do VBP da cidade é da soja) e Castro na 5ª. Na produção de semente de soja, a liderança também é de Tibagi, com Arapoti na 3ª posição e Castro na 5ª.

Em cultivos de verão, a região ainda tem a cidade que mais produz fumo no Brasil, São João do Triunfo. Mais do que isso, as sete cidades que mais produzem fumo no Paraná, estão nos Campos Gerais: depois de São João do Triunfo, se destacam Rio Azul (2ª), Prudentópolis (3ª), Ipiranga (4ª), Palmeira (5ª), Imbituva (6ª) e Irati (7ª), correspondendo a mais de 50% da produção paranaense, resultando em um VBP de quase R$ 1 bilhão somente nessas cidades. Outra produção de verão em que há uma cidade líder é de feijão, com Irati na liderança paranaense, seguida por Prudentópolis (3ª), Castro (4ª), Palmeira (5ª) e Tibagi (6ª).

Já entre os cultivos de inverno, Tibagi perdeu a liderança estadual no trigo para Cascavel, que plantou uma área maior (50 mil hectares contra 34,5 mil hectares). Ainda assim, Tibagi manteve-se na segunda colocação, seguida por Castro, na terceira posição paranaense. As posições dos municípios da região foram as mesmas na produção de triguilho; e em triticale, Arapoti foi a segunda. Em aveia branca, Tibagi apareceu na 4ª colocação estadual, ao passo que em aveia preta Teixeira Soares foi 2ª e Rebouças 5ª colocada. No centeio, três municípios concentram 30% da produção estadual: Imbituva (2ª no Paraná), Teixeira Soares (3ª) e Palmeira (4ª). E na cevada, que cresce a cada ano na região, há cinco cidades entre os nove maiores produtores, com Tibagi na 5ª posição, Ponta Grossa em 6º, Carambeí em 7º, Arapoti em 8º e Jaguariaíva em 9º.

Castro é líder em feno e silagem

Quando o assunto é silagem, Castro é líder estadual. Somente em silagem de milho, Castro acumulou R$ 400 milhões em 2021, seguida por Carambeí, a segunda do Paraná, com R$ 215 milhões - as duas superaram 11% do total estadual. Em outros tipos de silagem seca, a região também liderou, nesta ordem: Castro com 37% do Paraná e Carambeí com 14,8% do total estadual (1ª e 2ª), Arapoti, em 5º com 7% e Tibagi em 6º com 2%. E, em feno de ‘outros tipos’, Castro foi a líder, com 13% da produção estadual.


Telêmaco Borba é vice-líder nacional

Na silvicultura, Telêmaco Borba é 2ª nacional. E dentro da silvicultura, municípios da região lideram na produção estadual em diversos setores. Em papel e celulose, Telêmaco é líder nacional e estadual, com 25% da produção paranaense, acompanhada por Reserva (3ª) Sengés (4ª) e Ortigueira (5ª), Tibagi (6ª), Jaguariaíva (7ª) e Piraí (8ª). Em mudas de pinus, Telêmaco lidera, seguida por Arapoti (2ª) Irati (4ª) e Jaguariaíva (5ª); ao passo que em mudas de eucalipto, a liderança é de Arapoti e Telêmaco é segunda. Em lenha, Inácio Martins é 3ª colocada, e em mudas florestais exóticas Porto Amazonas é 2ª, Curiúva é 3ª e Palmeira, 4ª.

Em tora de madeira, há a liderança em dois aspectos. O primeiro é tora para processo, em que o ‘top 6’ paranaense é regional, com Arapoti (1º), Sengés (2º), Imbaú (3º), Jaguariaíva (4º), Ponta Grossa (5º) e Reserva (6º) que representam 70% do total estadual. Depois, em tora de eucalipto para serraria, Sengés é 1ª, seguida por Imbaú (2ª) e Telêmaco Borba (5ª). Entre pinheiro do Paraná em tora para serraria, Inácio Martins é 2ª e Castro é 3º; enquanto que em tora de pinus para laminação Inácio Martins é 2ª, e em tora de pinus para serraria Sengés é 3ª e Inácio Martins a 5ª.

Na produção florestal não madeirável, Inácio Martins é o maior produtor de pinhão no Estado, com 15% do total, e Prudentópolis é 5ª. Em erva mate, Inácio Martins é 4ª colocada, e em resina, Sengés é 3ª.

Pecuária tem força em diversas cidades; Arapoti é líder de mel no país

Nos produtos da produção pecuária, Castro e Carambeí lideram a produção nacional de leite. No Paraná, esses municípios são seguidos por Arapoti, 3º, e por Palmeira, 5º. Contudo, é da região, também, as duas cidades que mais produzem mel no Brasil: Arapoti (1ª) e Ortigueira (3ª). Além delas, Prudentópolis é terceira estadual. Também ligado à apicultura, Ortigueira e Arapoti são os maiores produtores de própolis do Paraná, com 33% do total estadual. Já em cera de abelha, Prudentópolis é 2ª, Ortigueira 4ª e Arapoti 5ª.

Entre aves, Carambeí é líder estadual em galinha para recria, com 20% do total, seguida por Ortigueira, na 4ª posição. Em galinhas caipiras vivas, Prudentópolis é líder, com Irati em 4º; e em ovos férteis de galinha, Carambeí é 2ª no Paraná. Em vacas para corte, Castro é 2º. Entre equinos, Ponta Grossa se destaca em 1º em animais de raça; e em animais de menos de um ano para trabalho, a 3ª.

Entre suínos, também há liderança regional. Em leitão macho para reprodução, Piraí é líder estadual, com percentual na casa dos 17%, seguida por Ponta Grossa, em 5º. Entre suínos para corte, Castro foi 5ª colocada, com R$ 400 milhões movimentados; e entre leitão para terminação, Piraí apareceu em 4º, com quase R$ 100 milhões gerados. Jaguariaíva aparecem em 5ª em leitão fêmea para reprodução. E em adubo orgânico originário de esterco de suínos, Castro foi 2ª, com R$ 44 milhões movimentados, e Piraí do Sul foi 5ª estadual.

Municípios se destacam em hortaliças, frutas e especiarias

Nas hortaliças e frutas, Reserva se destaca como a cidade que mais produz tomate, com 9,2% do total paranaense; e em batata salsa, Piraí do Sul é a 1ª, com 17% do Estado. Também há destaque em cogumelo champignon, com Castro (2ª) e Palmeira (3ª); cebola, com Irati em 3º; batata semente, com Castro em 3º; alface, com Castro em 5º; repolho, com Irati em 5º; e espinafre, com Cândido de Abreu em 5º.

Tibagi é o maior produtor de melancia, com 10% do total paranaense, enquanto que Arapoti lidera em caqui e em ameixa, e Porto Amazonas é líder em nectarina, seguida por Reserva (3ª) e Arapoti (5ª). Porto Amazonas ainda se destaca em ameixa (2ª), pêra (3ª) e maçã (4ª). Em maracujá, Prudentópolis é 2ª e Cândido de Abreu é 3ª; em amora, Prudentópolis é 2ª e Ponta Grossa é 5ª; em morango, Piraí do Sul é a 4ª estadual (quase 10% do total paranaense) e em pêssego, Arapoti é a 4ª colocada. Para encerrar, em uva vinífera, Palmeira aparece na segunda posição. 

Nas especiarias, Prudentópolis se destaca como a cidade que mais produz, no Paraná, carqueja, folha de maracujá, macela e melissa. Outros municípios de destaques nesses produtos são Rebouças (3ª) e Imbituva (4ª) em carqueja; Guamiranga (3ª) em folha de maracujá; Rebouças (3ª) e Inácio Martins (4ª) em Macela e Rebouças (4ª) e Imbituva (5ª) em melissa. Prudentópolis ainda é 5ª em capim limão e 4ª em hortelã. Rebouças é a 3ª estadual em hortelã. E entre as flores, Castro é líder em mosquitinho (Gypsophila) e Carambeí é 3ª em crisântemo em vaso.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE