Polícia Civil prende suspeitos de homicídio em 'força-tarefa'

Ação conjunta reuniu a Polícia Civil em Arapoti, Jaguariaíva e Sengés

Ação conjunta reuniu a Polícia Civil em Arapoti, Jaguariaíva e Sengés
Ação conjunta reuniu a Polícia Civil em Arapoti, Jaguariaíva e Sengés -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Uma força-tarefa composta pela Polícia Civil de Arapoti, Jaguariaíva e Sengés predeu nesta quinta-feira (18) dois rapazes investigados pela prática de um homicídio no mês passado, que vitimou Vaudiram Alves dos Santos, conhecido na cidade como Paraíba. Na ocasião, a vítima foi morta com vários disparos de arma de fogo quando havia acabado de chegar em um bar no Jardim Ceres. Dois rapazes desceram de uma moto, atiraram e fugiram do local.

A Polícia Civil agiu nos trabalhos de investigações e, poucos dias depois, apreendeu uma pistola 380 que os criminosos teriam usado. Ainda assim, as investigações continuaram em sigilo absoluto. Em conjunto com o serviço de inteligência da Polícia Civil da região, os investigadores identificaram que também poderia haver envolvidos da cidade de Jaguariaíva. Foi representado à Justiça pela emissão de mandados de prisão preventiva e de buscas.

Durante os trabalhos, um homem de 27 anos foi preso em Jaguariaíva depois de tentar se evadir pelos fundos da casa ao perceber a ação dos policiais, porém, o imóvel estava cercado e ele foi capturado. Também foi preso outro homem de 37 anos em Arapoti. Uma mulher também acabou sendo presa pelo crime de tráfico de drogas em razão dos investigadores terem localizado na casa dela porções de maconha preparadas para venda. O local era conhecido como 'biqueira'. As investigações continuam para esclarecer se há participação de outras pessoas no crime. É possível, ainda, que os autores estejam envolvidos com o tráfico de drogas. 

Morte de 'Índio'

Além desse caso, a Polícia Civil continua os trabalhos de investigação relacionado ao homicídio que vitimou o segurança Reginaldo Pereira Lopes, popular Índio, o qual trabalhava na madrugada do último dia 14 e acabou sendo morto por diversos disparos de arma de fogo. Imagens das câmeras de monitoramento foram analisadas e várias testemunhas já ouvidas. Diligências importantes foram realizadas e o autor identificado. Os familiares se comprometeram a apresentá-lo para polícia ainda nessa semana. Caso isso não ocorra, estão cientes de que deverá ser preso pelas forças policiais, já que possui um mandado de prisão em aberto.

As informações são da Polícia Civil

Conteúdo de marca

Quero divulgar right