PUBLICIDADE

Alep repudia guerra e se solidariza com Prudentópolis

"É preciso abrir o diálogo entre as partes envolvidas de forma pacífica e democrática para que seja encontrada uma rápida solução para evitar mortes e destruição", explica o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), deputado estadual Ademar Traiano (PSDB).

Presidente do Poder Legislativo do Paraná, deputado estadual Ademar Traiano (PSDB).
Presidente do Poder Legislativo do Paraná, deputado estadual Ademar Traiano (PSDB). -

Rodolpho Bowens

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

"É preciso abrir o diálogo entre as partes envolvidas de forma pacífica e democrática", diz o presidente do Legislativo

Prudentópolis é o Município mais ucraniano do Brasil. Aproximadamente 75% de sua população de 52 mil habitantes é formada por descendentes de imigrantes da Ucrânia. O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), Ademar Traiano (PSDB), manifestou preocupação com o agravamento do conflito entre Rússia e Ucrânia e prestou solidariedade aos moradores da cidade.

Os imigrantes chegaram há 130 anos na região. Muitos ainda têm parentes na Ucrânia e estão vivendo momentos de tensão e medo. "É preciso abrir o diálogo entre as partes envolvidas de forma pacífica e democrática para que seja encontrada uma rápida solução para evitar mortes e destruição", defendeu Traiano.

No Paraná são quase 500 mil ucranianos e seus descendentes, imigrantes que ajudaram a construir o Paraná, a sua cultura e economia. "Toda guerra é uma tragédia. Nada é mais importante do que a vida e a paz mundial. Oremos pelo povo da Ucrânia e por todos os descendentes que vivem em Prudentópolis e em todo o Paraná", afirmou Traiano.

A Prefeitura Municipal de Prudentópolis encaminhou ofício para Ternópil, na Ucrânia, oferecendo refúgio para moradores do país após o ataque da Rússia. Maior comunidade ucraniana do Brasil, é considerada cidade-irmã de Ternópil, que fica a 461 km de Kiev. Em Curitiba, o Memorial Ucraniano foi inaugurado em 1995 para homenagear a contribuição do povo ao desenvolvimento da capital do Paraná.

Em agosto de 2021, o Poder Legislativo realizou uma celebração para comemorar os 130 anos da imigração ucraniana no Brasil. Na ocasião, foram homenageados o cônsul honorário da Ucrânia no Paraná, Mariano Czaiskoski, o presidente da Representação Central Ucraniana Brasileira, Vitório Sorotiuk, e o ex-deputado Felipe Lucas.

"Guerra não serve para nada", diz Romanelli

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) criticou nesta sexta-feira (25), a invasão russa à Ucrânia e se solidarizou com a comunidade ucraniana no Paraná e no mundo. "A minha imensa solidariedade ao povo ucraniano. Meu repúdio a essa agressão à Ucrânia e ao povo ucraniano. A guerra não serve para nada. Ou se negocia a paz ou teremos piores desdobramentos", disse Romanelli.

O deputado destacou que o Paraná possui uma comunidade formada por aproximadamente 500 mil ucranianos e descendentes. "O Paraná possui fortes laços culturais, afetivos e econômicos. As pessoas estão sofrendo muito por tudo o que está acontecendo", finalizou.

Com informações: Assembleia Legislativa do Paraná.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE