Vivências e experiências na EI marcam trabalho no Integração

Professoras do Colégio de Ponta Grossa falam da importância de interações e dinâmicas na Educação Infantil por meio de ações adequadas por faixa etária

Registros mostram que uso de espaços e recursos são indispensáveis na formação dos alunos
Registros mostram que uso de espaços e recursos são indispensáveis na formação dos alunos -

Dhiego Tchmolo

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Professoras do Colégio de Ponta Grossa falam da importância de interações e dinâmicas na Educação Infantil por meio de ações adequadas por faixa etária

A vivência, interação e experiência na Educação Infantil foram temas de trabalho das professoras Angela e Agda no Colégio Integração em Ponta Grossa. As docentes destacam como o trabalho foi realizado, com coordenação de Amanda W. Uller e correção do relato por parte de Igor Antônio Barreto.

“A criança aprende, desde seu nascimento, um aprendizado que inicia com seu choro e ao primeiro toque de carinho da sua mãe, que desperta nela sentimentos de afetividade, segurança e amor. A partir deste momento o aprendizado é constante e, para que esse aprendizado seja algo significativo, ele precisa ser desenvolvido. Ou seja, como Vygostsky apresente em sua teoria: a criança aprende algo novo, logo ela desenvolve; depois, ela aprende algo novamente, seguindo uma linha”, relatam as educadoras.

Angela e Agda citam que o processo se dá nos primeiros anos de vida e a estimulação na faixa entre 0 a 5 anos é muito importante no desenvolvimento intelectual e emocional. Assim, entra a Educação Infantil como parte do processo: estímulos e convivência, socialização, interação com outras crianças, desenvolvendo as partes emocionais, cognitivas e intelectuais. Para isso é necessário um ambiente acolhedor, interativo e divertido, por meio de atividades direcionadas e pensadas no favorecimento do seu processo.

“Na Educação Infantil o brincar faz parte deste estímulo de aprendizagem: o bebê aprende por estímulos e brincadeiras, desde uma brincadeira de assoprar os dedos da mãe, que já desperta a sensibilidade tátil. Por isso, é tão importante estes estímulos por experiências, que transformam a aprendizagem em conhecimento”, pontuam as professoras.

Assim, na escola todo o processo acontece com intervenções pedagógicas necessários. Para as educadoras, a sala de aula o grande aliado é o espaço, pois, “no chão da sala encontramos diversas possibilidades de atividades, como as atividades direcionadas para desenvolvimento motores, rolar, engatinhar, pular, deitar de bruços, vencer os obstáculos, circuitos e todas as atividades que ajudam no fortalecimento da musculatura das crianças, instigando a curiosidade e a desenvolvimento para a resolução de problemas, trabalhando também, a sensibilidades e lidar com as frustrações”.

Para complementar, Angela e Agda citam que no berçário as atividades podem parecer simples aos olhos dos adultos, mas é significativo para as crianças. “Por mais que se direcione ao berçário o cuidar e educar em sala de aula, estamos formando e transformando pessoas com conhecimento responsáveis e desenvolvendo suas potencialidades, formando seres humanos capazes de conviver em sociedade. Sempre devemos nos lembrar da nossa postura diante das crianças, pois elas aprendem por repetição e observam atentamente todas as atitudes dos adultos que os cercam”, concluem as professoras.

Acesse o blog escolar do Colégio Integração clicando aqui