PUBLICIDADE

UPA Santa Paula reduz em 21% tempo de espera

Melhoria no atendimento é resultado da inclusão de mais um médico na escala do pronto atendimento adulto

Sendo a UPA uma unidade destinada a casos de urgência e emergência, o tempo de espera para atendimento é sempre motivo de questionamento por parte dos paciente
Sendo a UPA uma unidade destinada a casos de urgência e emergência, o tempo de espera para atendimento é sempre motivo de questionamento por parte dos paciente -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Um mês após a ampliação do número de médicos na escala do pronto atendimento adulto da UPA Santa Paula, os resultados positivos já começam a ser observados. Isso porque, com a apuração dos indicadores do mês de fevereiro, foi evidenciada uma redução de 16 minutos no tempo médio geral de espera dos mais de 7 mil pacientes atendidos, se comparado com os dois últimos meses, o que representa uma redução de 21%.

Sendo a UPA uma unidade destinada a casos de urgência e emergência, o tempo de espera para atendimento é sempre motivo de questionamento por parte dos pacientes, uma vez que a prioridade é dada sempre aos casos mais graves - e não por ordem de chegada. Dessa forma, pacientes classificados com casos não urgentes (identificados pela cor azul na classificação de risco) e pouco urgentes (cor verde) costumavam aguardar mais tempo, o que costumeiramente gerava reclamações.

Com o novo dimensionamento da equipe médica, a redução do tempo de espera foi um ganho aos pacientes. Para efeito de comparação, pacientes classificados com a cor azul aguardavam em média 1 hora e 44 minutos para serem atendidos, porém, em fevereiro, esse tempo médio caiu para 1 hora e 26 minutos. Já os pacientes identificados com a cor verde, aguardavam em média 1 hora e 22 minutos para passarem pela consulta médica, e no mês de fevereiro esse número caiu para apenas 1 hora e 6 minutos.

Para a diretora técnica da UPA Santa Paula, Dra. Kelly Maria Silveira, essa redução é motivo de satisfação para a equipe. “Essa necessidade de mais um médico no PA adulto foi observada por nós há algum tempo, mas felizmente agora pôde ser colocada em prática. Além do menor tempo de espera pelo atendimento, que é a primeira percepção do paciente, isso traz vários outros benefícios à UPA. Um atendimento mais rápido torna o processo mais dinâmico, permite uma otimização do espaço físico e das atividades dos profissionais e, claro, torna o atendimento mais seguro”, finaliza a médica.

Foco em Qualidade e Segurança do Paciente

A mudança na escala médica é apenas uma das diversas ações que vêm sendo implantadas na UPA a fim de garantir mais qualidade no atendimento e segurança no cuidado assistencial. Desde que voltou a ser gerenciada pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), em setembro de 2022, a UPA está mudando, por meio da implantação de protocolos e investimento em treinamentos à equipe.

A coordenadora do Núcleo da Qualidade e Segurança do Paciente, Mariane Zadra, afirma que essas ações são essenciais para melhorias centradas no paciente e a busca por ajustes nos processos torna-se o carro chefe para avançar na qualidade do atendimento. “O INDSH promove a gestão médico-hospitalar de excelência, com equipes multidisciplinares comprometidas com a qualidade. Assim, temos notado o avanço em todas as áreas da Unidade, buscando identificar, planejar, implantar e avaliar indicadores estratégicos, auditorias internas e ações de melhoria constantes em fluxos e processos. Esse é o carro chefe para um atendimento seguro e de excelência”, finaliza a gestora.

Por fim, é sempre válido reforçar que a UPA é uma unidade destinada a casos que requerem atendimento imediato, como, por exemplo, sintomas de infarto ou AVC, febre alta, síndrome respiratória, queimaduras, fraturas e infecções.

Com informações da Assessoria de Imprensa

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE