PUBLICIDADE

UEPG passa a divulgar Boletim Epidemiológico Mensal

Os boletins mensais são sobre doenças e casos de notificação obrigatória

O boletim também traz a evolução de casos de Covid-19 ao longo do ano
O boletim também traz a evolução de casos de Covid-19 ao longo do ano -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), por meio de seus Hospitais Universitários, reafirma seu compromisso com a saúde da população dos Campos Gerais e passa a divulgar boletins mensais sobre doenças e casos de notificação obrigatória. A primeira edição do Boletim Epidemiológico Mensal já está disponível para consulta.

“Convidamos profissionais e gestores ao acompanhamento de indicadores sobre as Doenças e Agravos de Notificação Compulsória que são atendidos nos hospitais universitários”, diz Fabiana Postiglione Mansani, diretora geral dos HUs da UEPG.

O monitoramento é feito diariamente, com coleta e análise de informações de saúde no Hospital Universitário (HU-UEPG) e no Hospital Materno Infantil (Humai-UEPG) sobre doenças, eventos e danos à saúde que são prioritários para o Brasil e Paraná.

Os dois hospitais geridos pela Universidade participam da Rede Nacional de Vigilância Epidemiológica Hospitalar (Renaveh), que tem como objetivo permitir o conhecimento, a detecção, a preparação e a resposta imediata às emergências em saúde pública que ocorram no âmbito hospitalar.

As notificações, investigações epidemiológicas, coleta e organização de dados do boletim estão sob responsabilidade do Núcleo Hospitalar de Epidemiologia (NHE-UEPG), coordenado pela professora e doutora em Epidemiologia Pollyanna Kassia de Oliveira Borges.

O apoio nas investigações epidemiológicas e definições de caso conta ainda com o trabalho das médicas infectologistas Bianca Hoekstra, Gabriela Margraf e Juliana Schwab. A análise dos dados ficou sob responsabilidade da professora Camila Marinelli.

Acidentes de trabalho no topo das notificações obrigatórias

Os dados mostram que das 277 notificações obrigatórias feitas de 1º de setembro a 23 de dezembro de 2022, 177 foram acidentes de trabalho graves. As outras condições mais notificadas foram de violência interpessoal/autoprovocada (38), tuberculose (23), meningites (7) e AIDS (5).

Notificar oficialmente sobre todas essas doenças e problemas de saúde é uma exigência do Ministério da Saúde, que estabelece uma lista dos casos que devem ser relatados às autoridades, para que o país tenha dados para embasar políticas públicas de controle e tratamento mais eficientes. As doenças e agravos de notificação compulsória representaram menos de 10% de todas as admissões do HU-UEPG ao longo de 2022.

Covid-19

O boletim também traz a evolução de casos de Covid-19 ao longo do ano. Foram internados, no HU-UEPG, 490 pacientes com sintomas respiratórios de janeiro a novembro de 2022, com 302 casos confirmados do vírus. Em novembro foram confirmados 8 casos de Covid-19. A maioria dos pacientes sintomáticos tinha 60 anos ou mais, e estava vacinada com duas doses ou mais.

Os sintomáticos respiratórios corresponderam de 9% a 10% das internações do hospital em janeiro e fevereiro de 2022, com a Covid-19 sendo a doença mais frequente entre esses pacientes. Entre janeiro e novembro, foram confirmados 126 óbitos por Covid-19.

A diretora geral do HU-UEPG e do Humai-UEPG reforça que trata-se de um boletim científico, bastante relevante para as ações dentro dos hospitais. “Desejamos que esta ferramenta de comunicação seja instrumento para práticas assistenciais, educativas, e de gestão, baseadas em evidências”.

Com informações da Assessoria de Imprensa.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE