PUBLICIDADE

PG avança em inovação e em empreendedorismo

Município passou a integrar o ranking das 100 cidades listadas no estudo ‘Connected Smart Cities’ (CSC), elaborado pela Urban Systems, sendo a 49ª em inovação e a 24ª do país em empreendedorismo

Em live ao Portal aRede, Tônia Mansani elencou diversas iniciativas desenvolvidas e ampliadas neste ano de 2022 na cidade
Em live ao Portal aRede, Tônia Mansani elencou diversas iniciativas desenvolvidas e ampliadas neste ano de 2022 na cidade -

Fernando Rogala

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O ano de 2022 ficou marcado por grandes avanços na área de inovação em Ponta Grossa. No primeiro ano de criação da Agência de Inovação e Desenvolvimento da Prefeitura, presidida por Tônia Mansani, inúmeras ações já fizeram a diferença a ponto de o município passar a integrar o ranking das 100 principais cidades inteligentes do país (Connected Smart Cities), elaborado pela Urban Systems, ocupando a 60ª colocação geral, com destaque para a 24ª colocação no ranking de empreendedorismo e na 49ª em inovação. Em 2021, Ponta Grossa sequer ocupava o ranking geral.

Em entrevista ao vivo ao Portal aRede, na tarde desta terça-feira (27), Tônia Mansani elencou diversas iniciativas desenvolvidas e ampliadas neste ano de 2022, mas destacou alguns tópicos como chave para esse destaque em âmbito nacional, especialmente em procedimentos internos. “Estamos trabalhando, enquanto modernização de Governo, que é uma proposta da prefeita Elizabeth, com a Agência de Inovação como um elo que liga as secretarias. Trabalhamos com oito secretarias na modernização - e empreendedorismo e inovação é o ambiente de negócios. Então foi um ano que o governo reconheceu que a inovação é um vetor de desenvolvimento e é uma nova economia, e nós, como município, precisamos nos preparar para isso, tendo um ecossistema forte e interligado”, resumiu.

Outro aspecto colocado como prioritário por Tônia foi a simplificação. Ela detalhou que a própria legislação, no Projeto de Lei que criou a Agência, publicado em dezembro de 2021, prevê a desburocratização. "Ela é responsável por um olhar objetivo de melhoramento do ambiente de negócios no município. E melhorar o ambiente de negócios significa deixar simplificado e o mais fácil possível para quem quer investir aqui, preparar o ambiente para que a cidade tenha capacidade de receber investimentos”, disse, lembrando que a inovação pode ser aplicada em tudo. “As pessoas falam muito que tem que investir em tecnologia, mas nós também investimos em pessoas. Trabalhamos com lideranças inovadoras dentro da prefeitura nesse ano. Inovação é a postura sua frente a adversidade, então estamos falando muito mais de pessoas do que de tecnologia”, completa.

Já nas ações para fora, ou seja, para o público, Tônia listou inúmeras iniciativas, como a matrícula eletrônica para estudantes do município; a PPP da iluminação pública, que será um marco para a cidade em âmbito nacional; o convênio com o Parque Tecnológico de Itaipu para a criação do PTI Conecta Vale dos Trilhos, que está promovendo o ecossistema de inovação local; a criação do ‘Lab de Ideias’, que é uma pré-incubadora que terá o edital lançado em janeiro de 2023; além do Governo Sem Papel, que promoveu muita integração e está simplificando e agilizando os processos para os usuários e cidadãos. Um dos exemplos é na redução do tempo de formalização de empresas, da emissão do Alvará, que antes levava cinco dias e 18 horas e agora leva apenas cinco horas da abertura para a liberação da nota fiscal. “Quando montamos uma proposta de modernização do governo, colocamos os objetivos da OCDE para uma cidade inteligente. E a primeira premissa é ter o usuário no centro de seu processo”, reforça.

FUTURO PROMISSOR

Com tudo isso, Tônia reafirma que Ponta Grossa se consolida como um local promissor para as empresas de base tecnológica, com um município que trabalha no desenvolvimento para uma cidade que se desenvolve nos 200 anos e se prepara para o futuro. “Nesse sentido vem o Vale dos Trilhos, com inúmeros atores que convergiram para se tornar, de fato, um ambiente propicio para fazer inovação e atrair não só empresas de fora, mas a empresas locais que invistam em inovação”, conclui.

Sala do Empreendedor traz emancipação

Na Sala do Empreendedor, foram mais de 50 mil atendimentos presenciais, que resultaram em mais de 3,3 mil formalizações de MEIs. Tônia, porém, destaca outro indicador bastante positivo: o grande aumento de acessos na Sala Digital, que passou de 121 mil (2021) para 273 mil acessos (2022), e o de usuários, que passou de 40,3 mil para 76,8 mil. Isso é sinal de emancipação dos empreendedores, que elas estão adquirindo conhecimento e aprendendo a fazer por si, reduzindo gastos de tempo desnecessários. “Tivemos uma redução de atendimentos presenciais e esse era nosso objetivo. Diminuir esse atendimento, ano a ano, é sinal que nosso governo sem papel está se efetivando. E se olhar, temos 45 mil empresas e tivemos 75 mil usuários, então há um percentual de gente de fora”, disse.

Além disso, R$ 2,5 milhões em microcrédito foram liberados para empreendedores - ao todo, foram contempladas 211 propostas, sendo 74 operações na linha ‘Micro Fácil’ e 137 ‘Micro Mulher’.  O projeto Dona de Mim incentivou 200 mulheres no decorrer do ano a atingirem a sua independência financeira, e 58 empresas foram formalizadas nos CRAS. “Estamos emancipando, tirando as pessoas dos auxílios, mostrando que o município investe nas pessoas e dá oportunidade. As pessoas querem entender por que um município com o maior parque industrial do interior investe no pequeno, e explicamos que é o pequeno que faz circular o dinheiro na economia”, finaliza Tônia.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE