PUBLICIDADE

Egresso da UEPG cria aplicativo de comunicação

Apesar de ser ainda um protótipo, o aplicativo foi instalado mais de nove mil vezes e apareceu em sites de organizações especializadas em tecnologias assistivas.

Apesar de ser ainda um protótipo, o aplicativo foi instalado mais de nove mil vezes e apareceu em sites de organizações especializadas em tecnologias assistivas.
Apesar de ser ainda um protótipo, o aplicativo foi instalado mais de nove mil vezes e apareceu em sites de organizações especializadas em tecnologias assistivas. -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

O aluno egresso de Engenharia de Computação da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Maurício Fontana de Vargas, desenvolveu um aplicativo que auxilia indivíduos com dificuldades de comunicação e pessoas com deficiência. Chamada de Click AAC, a aplicação ajuda no aprendizado e uso da comunicação simbólica, especialmente para crianças com autismo ou deficiências intelectuais. Apesar de ser ainda um protótipo, o aplicativo foi instalado mais de nove mil vezes e apareceu em sites de organizações especializadas em tecnologias assistivas.

A comunicação simbólica é a transmissão e assimilação de valores, com símbolos reconhecidos pela sociedade em questão. Baseada na Comunicação Aumentativa e Alternativa (CAA), o Click AAC fornece um vocabulário relacionado a um tópico instantaneamente, sem exigir que familiares ou profissionais antecipem a situação. “O aplicativo minimiza o árduo trabalho de selecionar e pré-programar manualmente as pranchas de comunicação com vocabulário útil, atualmente realizado por membros da família ou profissionais, como fonoaudiólogos”, explica Maurício. 

Com o aplicativo, os usuários não precisam manter na memória os símbolos previamente selecionados, nem lembrar como navegar até um símbolo desejado, o que reduz demandas cognitivas. Conforme explica Maurício, o fornecimento de vocabulário automático pode ajudar os membros da família a ter ganhos nos momentos de ensino. “Ele ajuda em situações emergentes e imprevistas, além de facilitar usuários a se comunicarem sobre tópicos de interesse”, enfatiza. Foram praticamente cinco anos de trabalho – dois na criação do algoritmo responsável por gerar o vocabulário automaticamente e três no desenvolvimento do aplicativo interativo. O estudo também envolveu a aplicação do Click AAC em escolas para pessoas com deficiência em sessões de fonoaudiologia.

Trajetória

Maurício se graduou em Engenharia de Computação na UEPG em 2013 e, desde 2016, realiza o PhD em Information Studies na McGill University, em Montréal, Canadá. Atualmente, ele trabalha na área de Interação Humano-Computador (IHC), com o grupo de pesquisa ACT Lab. “Acabei de defender a tese agora no começo de dezembro e começarei um pós-doutorado na mesma área, em um outro laboratório da McGill”.

“Eu acredito que a computação é uma ferramenta poderosa para solucionar problemas do mundo real”, salienta o egresso. Segundo Maurício, atualmente, a maioria das tecnologias e produtos são desenvolvidos para o usuário padrão, o que não acomoda necessidades individuais dos usuários. “Na minha área de pesquisa, buscamos desenvolver tecnologias com a participação do usuário final em todas as etapas do design“. A filosofia de trabalho permite identificar oportunidades de melhora nos sistemas de CAA atuais, “que infelizmente ainda são projetados baseados nos dispositivos de baixa tecnologia dos anos 80, como cadernos contendo grids com os símbolos”, conta.

E como a graduação em Engenharia de Computação na UEPG ajudou Maurício a chegar até aqui? “Me forneceu base sólida necessária para desenvolver minhas pesquisas no Mestrado e Doutorado”, explica. A área de estudo de Maurício é dinâmica, com novas tecnologias e paradigmas lançados todos os meses. “Mas os fundamentos básicos aprendidos e as habilidades adquiridas na UEPG me permitiam explorar e usar o que há de mais moderno na computação”.

Maurício ainda deixa um recado aos que pensam em entrar para o curso de Engenharia de Computação: “Saibam que é um curso poderoso e que te habilitará a desenvolver tecnologias que literalmente transformam o mundo. Porém, é um curso extremamente exigente dentro e fora da sala de aula e a dedicação do aluno é o ponto mais importante para alcançar o sucesso”, pontua.

Reconhecimento

O trabalho rendeu prêmios para Maurício e colegas. Em outubro, ele recebeu dois prêmios na principal conferência sobre computadores e acessibilidade do mundo, a ACM Assets, realizada em Atenas, Grécia. Os prêmios foram de melhor artefato e melhor artigo de autoria de alunos. O artigo intitulado ‘AAC with Automated Vocabularies from Photographs: Insights from School and Speech-Language Therapy Settings‘ [traduzido: AAC com Vocabulários Automatizados a partir de Fotografias: Perspectivas da Escola e da Fonoaudiologia] fala sobre o trabalho de desenvolvimento do aplicativo. Para Maurício, foi uma grande honra ter o esforço reconhecido. “Foram anos de trabalho árduo e enfrentando dificuldades, como a pandemia, mas sempre acreditei na qualidade e importância do projeto”, enfatiza. A dupla premiação reafirmou a crença no trabalho desenvolvido. “Também chamou a atenção dos maiores pesquisadores do mundo para a minha pesquisa”, finaliza.

O Click AAC pode ser baixado por usuários do sistema IOS, aqui, e pelo Sistema Android aqui.

Com informações, UEPG

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE